Cruzeiro supera expulsão e larga na frente do Vitória com 2 gols de Willian

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Edson Ruiz/Light Press/Cruzeiro

    Willian comemora gol do Cruzeiro contra o Vitória

    Willian comemora gol do Cruzeiro contra o Vitória

O Cruzeiro driblou a expulsão de Allano e a pressão do estádio Barradão, em Salvador, para vencer o Vitória, por 2 a 1, na noite desta quarta-feira (6), pela partida de ida da 3ª fase da Copa do Brasil. Com um a menos, a equipe mineira garantiu o resultado positivo com dois gols de Willian. Diego Renan, em cobrança de pênalti, marcou para o mandante.

O confronto de volta desta fase será disputado em 20 de julho (quarta-feira), no Mineirão. O time de Paulo Bento pode empatar por qualquer placar ou até perder por 1 a 0 para assegurar a classificação às oitavas de final.

Para chegar à próxima etapa do torneio de mata-mata, os comandados de Vagner Mancini precisam vencer o rival mineiro pela diferença de um gol, mas é necessário que marquem dois ou mais no Gigante da Pampulha.

Endiabrado, Willian marca o 4º em quatro jogos

O momento é de Willian na Toca da Raposa II. Presente nos últimos quatro jogos da equipe, sendo um na condição de suplente, o Bigode Grosso balançou as redes adversárias em três oportunidades. Ele fez dois diante do Palmeiras e voltou a estufar a meta contra o Vitória, nesta quarta-feira, pela Copa do Brasil. Bem em campo, o dono da camisa 9 ainda teve outras oportunidades de marcar, mas vacilou na pontaria e parou em defesas do goleiro Caíque. Na volta do intervalo, o atacante teve novas oportunidades e, mesmo que tenha desperdiçado muitas, balançou a rede de Caíque.

Pênalti polêmico acarreta em gol do Vitória

O mandante saiu em desvantagem no placar, mas alcançou o empate em pênalti convertido por Diego Renan. O momento do gol não teve nenhuma polêmica, mas o que gerou reclamação por parte dos mineiros foi o lance em que Paulo H Schleich Vollkopf (MS) assinalou infração. Marinho e Allano levantaram os pés para disputar a posse. Após toque do atacante do Vitória, a bola bateu na mão do lateral esquerdo do Cruzeiro. Os visitantes queixaram-se de falta do atleta do time baiano, alegando que ele levantou demais o pé, mas não foi o suficiente para a arbitragem mudar de ideia.

Mesmo com Allano, lado esquerdo segue mal

A vulnerabilidade do sistema defensivo do Cruzeiro é vista quando os adversários atacam pelo lado esquerdo da retaguarda. Na partida desta quarta-feira (6), este flanco novamente foi utilizado por um adversário para criar as jogadas. Vander e Marinho deram muito trabalho para Allano, improvisado como lateral esquerdo. O jovem meia-atacante, inclusive, foi quem cometeu o pênalti convertido por Diego Renan ao colocar a mão na bola. Com dificuldades na marcação, o garoto cometeu duas faltas punidas com amarelo. A soma acarretou em sua expulsão na etapa final.

Jogo de muitas lesões no Barradão

O confronto desta quarta-feira contou com três lesões que podem atrapalhar as escalações das equipes nos próximos compromissos. Victor Ramos sofreu uma lesão no ombro direito e precisou deixar o gramado no intervalo. Pelo lado do Cruzeiro, Alex deixou o campo com uma lesão muscular na coxa direita e Alisson queixou-se de dor na coxa esquerda.

Tática adotada por Bento vai por água abaixo, mas time vence

Em sua 12ª partida à frente do Cruzeiro, o português optou por poupar Giorgian De Arrascaeta, presente em todos os duelos sob a batuta do treinador. Contudo, com apenas 30 minutos de partida, Paulo Bento teve que acionar o uruguaio novamente. O jovem Alex queixou-se de um problema muscular na coxa direita e precisou deixar o gramado. Para a sua vaga, o técnico não teve dúvidas e acionou o uruguaio. A atuação do estrangeiro foi preponderante para o time conseguir o desempate. Ele criou a jogada que acarretou no segundo gol de Willian.

Mudança de Mancini dá outra cara ao jogo

Vagner Mancini manteve a formação com três zagueiros (Victor Ramos, Kanu e Ramon). Contudo, depois de 45 minutos morosos, o treinador optou por colocar Tiago Real na vaga do zagueiro. A alteração deixou o mandante mais ofensivo. A equipe passou a criar com mais frequência e dar mais trabalho aos defensores cruzeirenses. O fato foi acentuado com a expulsão de Allano e Kieza e Marinho desperdiçaram oportunidades durante toda a etapa complementar e acabaram assistindo ao rival marcando o segundo tento.

Ficha técnica
Vitória 1 x 2 Cruzeiro

Motivo: 3ª fase da Copa do Brasil
Local: Barradão, em Salvador (BA)
Data: 6 de julho de 2016 (quarta-feira)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Paulo H Schleich Vollkopf (MS)
Assistentes: Leandro dos Santos Ruberdo (MS) e Sérgio Alexandre da Silva (MS)

Cartão amarelo: Willian Faria, Diego Renan, Kanu, Marinho (Vitória); Robinho, Bruno Rodrigo, Allano, Ariel Cabral (Cruzeiro)
Cartão vermelho: Allano (Cruzeiro)

Gols: Willian – 8'/1º (0-1); Diego Renan – 15'/1º (1-1); Willian – 27'/2ºT (1-2)

Vitória
Caíque; Victor Ramos (Tiago Real), Kanu e Ramon; Diego Renan, Amaral (Alípio), Willian Farias e Euller (Nickson); Vander, Marinho e Kieza.
Técnico: Vagner Mancini.

Cruzeiro
Fábio; Lucas, Bruno Viana, Bruno Rodrigo e Allano; Bruno Ramires, Ariel Cabral e Robinho (Federico Gino); Alex (Giorgian De Arrascaeta), Alisson (Bruno Nazário) e Willian.
Técnico: Paulo Bento.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos