Dorival lamenta Santos e Fla em Cuiabá e torce contra assédio europeu

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Adriano Vizoni/Folhapress

    Dorival Júnior não aprovou mudança de jogo e pede para diretoria não vender atletas

    Dorival Júnior não aprovou mudança de jogo e pede para diretoria não vender atletas

Após a classificação para as oitavas de final da Copa do Brasil ao vencer o Gama por 3 a 0, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, o técnico Dorival Júnior já estava de olho no futuro do Santos. O treinador criticou a mudança de mando de campo do duelo santista contra o Flamengo, na próxima quarta-feira, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.

"Ano passado quando cheguei, o presidente me colocou que tínhamos necessidade de estarmos fora da Vila ou de São Paulo por três partidas. Tentei protelar pelo momento difícil que vivíamos, zona de rebaixamento, o presidente entendeu... Acredito que aquele compromisso tenha ficado. lamento pelo jogo, concorrente direto, equipe que saindo do Estado. O Santos terá 95% da torcida contra. O Santos fará 11 jogos fora e oito em casa. Sendo que desses oito, seis na Vila. Dificuldade grande, um pouco maior em razão desse problema. Está marcado e não posso ficar lamentando, justificando, criticando. Queria jogar na Vila, é natural. Em último caso no Pacaembu. Temos nossos objetivos e vamos correr atrás do resultado. Equipe vem se mostrando competitiva e espero que mantenha essa postura", lamentou Dorival.

O jogo ocorreria na Vila, mas a diretoria transferiu para a Arena Pantanal, em Cuiabá. A mudança ocorreu por causa de um dívida da diretoria santista com uma empresa, que comprou em 2015 um pacote de três jogos do clube.

No entanto, o Santos ainda deve o mando de um jogo, pois quando brigava pelo G4 do Brasileirão no ano passado, a diretoria solicitou que a partida contra o próprio Flamengo fosse mantida para a Vila Belmiro.

Além disso, Dorival comentou outro problema para a sequência da temporada – o assédio europeu em cima de seus atletas. Gabigol, inclusive, recebeu uma proposta oficial da Juventus, da Itália, e ainda não respondeu se aceitará jogar no time de Turim.

"Espero que não percamos jogadores. Esse talvez seja o principal ponto. Santos começa a encontrar um caminho, com elenco montado e, de repente, começar a perder em um momento que não podemos trazer. Nesse instante é natural que o prejuízo seja muito grande", concluiu.

Antes do duelo contra o Flamengo, o Santos encara o Cruzeiro neste domingo, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro, em jogo válido pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos