Henrique Almeida faz gesto obsceno e revolta torcida do Grêmio

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Reprodução / SporTV

Ao ser substituído por Guilherme, aos 19 minutos do segundo tempo do duelo contra o Atlético-PR, o atacante Henrique Almeida ouviu vaias da torcida. Irritado, respondeu com gestos obscenos, quando caminhava rumo ao banco de reservas da Arena. A tréplica foi a revolta dos presentes.

Almeida perdeu uma chance clara de gol aos 4 minutos de jogo. Sozinho, chutou para fora cara a cara com o goleiro Weverton. No restante dos minutos em que esteve em campo, pouco criou. Disputou uma bola com o goleiro rival e levou amarelo ainda na etapa inicial. Errou muito no segundo tempo.

Tanto que depois de um chute longe do gol, Renato Gaúcho tratou de colocar Guilherme. Foi quando a torcida xingou, e Henrique respondeu.

Após o gesto, erguendo o dedo do meio aos aficionados, a revolta foi geral. Cerca de sete torcedores passaram a bater com as mãos na casamata gremista, sempre gritando e xingando ainda mais o jogador.

Após alguns minutos, o clima se normalizou, com a torcida deixando de pressionar e Almeida sem nenhuma nova atitude. Em campo, no tempo normal, o Grêmio perdeu por 1 a 0 para o Atlético-PR, pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

Depois da partida, com classificação nos pênaltis, Almeida se justificou. "O torcedor tem que apoiar. Não sei, vamos entender. O torcedor saiu me criticando e xingando. Eles têm que apoiar, em vez de criticar. É isso", disse. 

O mesmo tom foi adotado pelo coordenador técnico Valdir Espinosa. "Peço que o torcedor sinta o momento, entenda a situação. Ele errou, sabe que errou. Mas temos a necessidade de ter este jogador. Então, o torcedor que pense um pouco e nos ajude", falou. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos