Premonição, carinho e contorno de crise: os bastidores da estreia de Renato

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

Renato Gaúcho voltou ao reservado do Grêmio. Nesta quarta-feira (21), o treinador viu a derrota por 1 a 0 para o Atlético-PR no tempo normal, mas vibrou com a vitória nos pênaltis por 4 a 3. Se assustou com tamanha emoção, teve uma premonição sobre o goleiro Marcelo Grohe e soube contornar uma inesperada crise de relacionamento entre Henrique Almeida e a torcida gremista. 
 
Fosse outro treinador, com menor entendimento das reações dos aficionados ou sem o peso do maior ídolo da história gremista, talvez o desfecho do ato de Almeida fosse outro. Rapidamente Renato soube contornar a história, que acabou ainda na sala de conferências da Arena. 
 
Henrique foi sacado, vaiado e fez gesto obscenso para os torcedores. Gerou revolta. Experiente, logo no começo de sua coletiva Renato concordou que estava errado e disse que o jogador mesmo se desculparia. Ele o fez e abafou qualquer tipo de pressão para punição maior. Foi multado 'no bolso' como disse o ex-atacante, e ali mesmo acabou o que poderia iniciar uma crise. 
 
Antes disso, porém, havia feito uma premonição. No intervalo do jogo, ao ver Marcelo Grohe desolado pela falha cometida no gol que dava a vitória ao Atlético-PR, Renato chegou ao goleiro e falou: "De vilão você irá virar herói". Acertou. Nas cobranças de pênalti, o camisa 1 fez três defesas. 
 
O tom brincalhão acompanhou Portaluppi até no momento de cobrança. Questionado sobre a falta de pontaria do ataque gremista, que não faz um gol sequer há cinco compromissos, Renato se negou a entregar cópias de seu DVD aos atletas - como disse que fez com Jonas em 2010 quando o atual atacante do Benfica passou a empilhar gols. 
 
"Os meninos vão achar que é montagem, vão enlouquecer, é muito para eles", falou sorrindo. 
 

Abraços e chute no vento

Durante o jogo, Renato Gaúcho espalhou abraços e carinho. Foi cumprimentado por Paulo Autuori - técnico rival. Ganhou um forte abraço de André Lima, seu comandado no Grêmio em 2010 e 2011. Em seguida, não conheceu o banco de reservas da Arena, já que passou o jogo inteiro em pé na beira do campo. 
 
Em gestos, era como se Renato ainda estivesse em campo. Chutou o vento ao ver Luan perder uma chance. Enquadrou o corpo como Guilherme deveria ter feito ao perder outra. Colocou as mãos no rosto ao ver o chute para fora de Henrique Almeida. Sofreu, até o fim. Mas vibrou com a classificação. 
 
"Eu falei nos vestiários, se no primeiro jogo é assim, vou voltar amanhã", brincou. "Não é fácil, mas assim como nós ganhamos deles lá, eles poderiam nos ganhar aqui. Foram muito bem taticamente, mas meu time foi melhor. Marcou, criou, as melhores chances foram nossas. Mas a bola não entrou", finalizou. 
 
No domingo, Renato Gaúcho terá novo compromisso em casa. Desta vez o rival será a Chapecoense, pelo Brasileiro. Na Copa do Brasil, o rival das quartas de final será conhecido na sexta-feira após sorteio.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos