Renato Gaúcho conserta 'problema crônico' e defesa do Grêmio evolui

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

Um problema acompanhava a defesa do Grêmio desde o começo do ano: a bola aérea. Seja em jogadas criadas, faltas ou escanteios, cruzamentos sempre entravam e invariavelmente acabavam em gol. Em dado momento, mais da metade dos sofridos tinha sido desta forma. Mas em três jogos, Renato Gaúcho acredita ter resolvido o problema. 
 
"Quando cheguei, falavam que o Grêmio tinha um problema na bola aérea. Mas não vi este problema. Se observarem os jogos que o Grêmio fez comigo, dos três adversários, no máximo cabecearam três bolas na nossa área. Neste aspecto evoluímos muito", disse o treinador. 
 
A mudança mais sensível no posicionamento defensivo diz respeito às bolas paradas. Em vez de marcação por zona, adotada por Roger Machado, Renato instituiu a marcação homem a homem, abusando de contatos físicos para conseguir vitória por cima. 
 
Foram dois gols sofridos com ele no leme até agora. Um do Atlético-PR, em que Marcelo Grohe rebateu um chute de longe e André Lima fez de rebote. E outro do Palmeiras, em pênalti cometido pelo goleiro em Gabriel Jesus e convertido por Zé Roberto. 
 
Pedro Geromel segue titular absoluto. Ao seu lado, o argentino Walter Kannemann conquistou confiança e mostrou, diante do Palmeiras, a segurança que fez a direção gremista o contratar no futebol mexicano. 
 
"Eles (Kannemann e Geromel) têm um bom entrosamento, estão bem. O Wallace (Reis) quando entrou também foi muito bem. Esse tipo de partida só faz aumentar a confiança. Todos tendo isso, considero fundamental para evitar os gols", disse Renato Gaúcho. "É claro que todo gol pode ser evitado. Mas não critico a defesa. O time foi muito bem", completou. 
 

É difícil corrigir sem tempo

Ao mesmo tempo que comemora ter resolvido um problema que parecia irreversível no Tricolor, Renato Gaúcho admite a dificuldade de ampliar sua participação no time. O tempo é inimigo. Sem poder realizar muitos treinamentos por conta da sequência de partidas, o comandante trata de usar conversas para garantir a evolução do time. 
 
"Um time, por melhor que jogue, e hoje foi fantástico, sempre pode melhorar. Nunca chegaremos ao limite. Eu fico um pouco com mãos atadas por não ter tempo para trabalhar. Mas mesmo assim há uma melhora muito grande jogo a jogo. E não adianta reclamar disso, porque não vou ter tempo até o fim do ano. Mas reencontramos as vitórias", finalizou Renato. 
 
O Grêmio conquistou vantagem na Copa do Brasil. Joga por empate ou vitória para seguir na competição. Pode até perder desde que marque mais de dois gols como visitante. Antes de pensar no duelo de volta da Copa, porém, terá pela frente o Brasileiro. No sábado, o rival será o Cruzeiro. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos