Sem regalias, dupla de ouro sofrerá ápice do assédio com título do Grêmio

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

    Walace e Luan conquistaram a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos com a seleção

    Walace e Luan conquistaram a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos com a seleção

Luan e Walace são considerados exemplos de boas condutas da direção do Grêmio. Ao sofrer pressão para venda de ambos ao mercado europeu, o presidente Romildo Bolzan Júnior fechou portas e elevou preços. Engana-se, porém, quem pensa que eles ganharam alguma regalia no elenco pela valorização. Pelo contrário, seguem o mesmo esquema de qualquer um. E perto de conquistarem a primeira taça pelo clube, aproximam-se do ponto mais alto da pretensão europeia. 
 
O comando do Grêmio usou a manutenção deles como plataforma de campanha. Conseguiu manter as principais joias do time mesmo com a conquista do ouro olímpico com a seleção brasileira. Ambos foram titulares e importantes no título inédito. Voltaram ainda mais valorizados. 
 
Mas não ganharam nenhuma regalia ou mesmo aumento de salários. O Grêmio trabalha com 'projeto de carreira' dos jogadores e dá valorizações progressivas de acordo com rendimento. Walace havia ganho no fim de 2015, Luan um pouco antes. Por isso não houve qualquer alteração de vínculo mesmo com as sondagens voluptuosas de fora do país.
 
Não houve proposta oficial por Luan. Mas quando clubes como Leicester City, da Inglaterra, e Barcelona, da Espanha, se aproximaram, Romildo Bolzan Júnior, presidente gremista, tratou de elevar o valor do jogador. Disse que uma venda ocorreria somente nos moldes semelhantes a Gabriel Jesus e Gabigol. Apenas cifras próximas a R$ 130 milhões satisfariam o mandatário. Assustados pela quantia de dinheiro a ser aplicada, os gringos recuaram. 
 
Já Walace chegou a ter uma proposta oficial do Espanyol, de Barcelona. O rival do time de Messi, Neymar e companhia queria pagar R$ 40 milhões. O Tricolor não aceitou. O preço para comercializar o volante é perto dos R$ 50 milhões. 
 
Só que tudo isso antes de uma eventual taça no Brasil. Luan e Walace, que chegaram a prometer pintar o cabelo de azul caso o Gremio conquiste a Copa do Brasil, terão valorização ainda maior. E com isso uma nova onda de propostas vindas da Europa na próxima janela de transferências. 
 

Grêmio tentará ser forte, mas já se prepara para perder um

 
O Grêmio não fala publicamente sobre a próxima temporada. Contudo, o presidente Romildo Bolzan Júnior garante que o objetivo é manter os dois jogadores. Quer um time ainda mais forte para disputar o título da Libertadores, caso consiga classificação. Não abre mão de seus principais valores. 
 
De qualquer forma, o clube já se prepara para perder ao menos um deles. A reposição para uma eventual saída de Walace, por exemplo, já está feita. O volante Michel, ex-Atlético-GO, foi contratado e terá negociação confirmada após o encerramento desta temporada. 
 
Em relação a Luan, o Tricolor confia que Everton possa ser um substituto imediato e não esconde a ideia de contratar um centroavante clássico para atuar na última posição do meio. 
 
Ao mesmo tempo, segundo apurou a reportagem do UOL Esporte, só irá negociar qualquer um deles se tiver uma proposta que contemple os valores previamente estabelecidos. Sem margem para debate. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos