Pratto faz contra, Cruzeiro vence São Paulo no Morumbi e encaminha vaga

Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo (SP)

Não poderia ser melhor. O Cruzeiro deixou o Morumbi, na noite desta quinta-feira, com a classificação encaminhada para as oitavas de final da Copa do Brasil. Em confronto realizado no Estádio do Morumbi, a equipe de Mano Menezes anulou o São Paulo, venceu por 2 a 0 fora de casa, gols de Lucas Pratto (contra) e Hudson, e se aproximou de uma vaga entre os 16 melhores da competição nacional.

O resultado positivo permite ao Cruzeiro até perder por um gol de diferença no confronto da volta, marcado para a próxima quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no Mineirão, para seguir na competição. Ao São Paulo resta um triunfo por três tentos de vantagem ou dois, desde que balance pelo menos três vezes as redes do goleiro cruzeirense Rafael em Belo Horizonte.

A vitória da equipe de Mano Menezes veio graças a dois fatores: trabalho defensivo exemplar e eficiência nas bolas paradas. Dono de uma das melhores defesas do país – 10 gols sofridos em 19 jogos -, o Cruzeiro anulou o São Paulo, que insistiu em cruzamentos para a área e pouco ameaçou a meta adversária. No ataque, em duas jogadas pelo alto, saíram os gols mineiros.

A derrota vem em um momento ruim. O São Paulo retorna a campo no domingo, às 19h, novamente no Morumbi, para encarar o rival Corinthians no primeiro duelo pela semifinal do Campeonato Paulista.

O embalado Cruzeiro, ainda invicto na temporada depois de 20 partidas oficiais, pega o América-MG, no Independência, também pelo primeiro duelo semifinal do Campeonato Mineiro.

Quem foi bem: Hudson

Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro

Emprestado pelo São Paulo para o Cruzeiro, o meio-campista deixou o gramado como um dos destaques da partida. Além de anotar o gol que sacramentou o resultado final, o volante teve papel importante no eficiente sistema de marcação apresentado pelo clube mineiro, responsável por anular o jogo do time de Rogério Ceni.

Quem foi mal: Wellington Nem

Um dos principais nomes contratados pelo São Paulo para a temporada, Wellington Nem errou quase tudo o que tentou no Morumbi. A atuação abaixo do nível esperado para um atleta deste quilate irritou até o torcedor, que vaiou o atacante no momento em que fora substituído durante a segunda etapa.

Muy amigo

Lucas Pratto colheu uma rivalidade com o Cruzeiro graças aos anos com a camisa do Atlético-MG. Nesta quinta-feira, entretanto, o atacante argentino agiu como um 'amigo' cruzeirense. O gol da equipe de Mano Menezes, que se postou de maneira cautelosa e pouco atacou, saiu graças a um desvio contra do centroavante são-paulino. Após falta cobrada para a área, o camisa 14 tocou de cabeça sem chances para Renan Ribeiro. Azar dele que para a meta errada.

Bola aérea defensiva, velho (novo) problema

Novamente o São Paulo voltou a sofrer com as jogadas aéreas defensivas, situação que já irritara Rogério Ceni no mês passado. Se Pratto cabeceou contra o próprio patrimônio aos 17min da segunda etapa, o ex-são-paulino Hudson se antecipou à defesa adversária e ampliou a vantagem cruzeirense aos 25min. Foi a vez de o Cruzeiro expor a 'kriptonita' da equipe de Rogério Ceni.

São Paulo insiste pelo alto

Adriano Vizoni/Folhapress

Sem a criatividade de Cueva, o São Paulo enfrentou dificuldades diante da linha defensiva cruzeirense. A falta de infiltração pelo meio e os erros de passes no terço final de campo atrapalharam a equipe da casa. A solução encontrada foi abrir o jogo e insistir nas jogadas pelo alto, especialmente com os laterais Buffarini e Júnior Tavares. No entanto, Manoel e Léo se sobressaíram neste quesito durante o confronto.

Cruzeiro reativo

Acostumado a propor o jogo sob o comando de Mano Menezes, o Cruzeiro assumiu uma postura oposta na noite desta quinta-feira. No primeiro grande teste fora de Minas Gerais – foram dois clássicos contra o Atlético-MG -, o time celeste apostou em uma marcação compacta e nos contra-ataques para ameaçar a meta defendida por Renan Ribeiro. Contudo, erros de passes impediram que a equipe mineira assustasse mais. A equipe visitante então recorreu às jogadas de bolas aéreas e alcançou o resultado com dois cruzamentos de Thiago Neves.

Rogério Ceni 'dribla' zagueiro e incendeia Morumbi

Precisou uma ação espontânea de Rogério Ceni no banco de reservas para incendiar o Morumbi. O torcedor, ciente das dificuldades enfrentadas pela equipe diante da sólida defesa celeste, trocou o apoio pela apreensão até o momento em que o treinador 'driblou' o zagueiro Manoel, do Cruzeiro. A bola saiu pela lateral; Ceni agarrou a bola e fintou o defensor adversário para acelerar a reposição de bola. Foi como um gol para o são-paulino.

Que defesa, Mano

Adriano Vizoni/Folhapress

O Cruzeiro iniciou a temporada com apenas 10 gols sofridos em 19 partidas. Diante da impressionante média deste ano, Mano Menezes apostou justamente neste comportamento defensivo para frustrar o São Paulo no Morumbi. Deu certo. A postura compacta protegeu a meta defendida por Rafael e limitou o ataque são-paulino. Com a vantagem de dois gols no placar, as linhas defensivas se aproximaram ainda mais da área celeste, e o time tricolor parou na 'retranca' armada pelos visitantes na parte final da partida.

Lei do ex

Ela, a velha 'Lei do Ex', deu as caras na noite desta quinta-feira no Morumbi. Emprestado pelo São Paulo para o Cruzeiro, o meio-campista Hudson anotou o segundo tento dos mineiros contra o São Paulo, responsável por aproximar a equipe de Mano Menezes da classificação para a próxima fase da Copa do Brasil. Por respeito, o volante sequer comemorou o importante gol.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 0 x 2 CRUZEIRO

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 13 de abril de 2017 (quinta-feira)
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa-RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves e Leirson Peng Martins (ambos do RS)
Público: 43.662 pagantes
Renda: R$ 1.065.916,00
Cartões Amarelos: Thiago Mendes (São Paulo); Ariel Cabral e Ramón Ábila (Cruzeiro)

Gols:
CRUZEIRO: Lucas Pratto (contra), aos 17min do 2º tempo; e Hudson, aos 25min do 2º tempo

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Buffarini (Araruna), Maicon, Rodrigo Caio e Júnior Tavares; Thiago Mendes, Jucilei e Cícero (Gilberto); Wellignton Nem (Thomaz), Lucas Pratto e Luiz Araújo.
Técnico: Rogério Ceni.

CRUZEIRO: Rafael; Mayke, Léo, Manoel e Diogo Barbosa; Hudson (Lucas Romero) e Ariel Cabral; Rafinha, De Arrascaeta e Thiago Neves (Alisson); Ramon Ábila (Raniel).
Técnico: Mano Menezes.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos