Zago solta palavrão e diz que não usou frases de Neto para motivar o Inter

Do UOL, em Porto Alegre

Antonio Carlos Zago não segurou o verbo. Ao avaliar o jogo contra o Corinthians, empate em 1 a 1, com vitória nos pênaltis por 4 a 3, levando  o Inter às oitavas de final da Copa do Brasil, soltou um palavrão. Segundo o treinador, o Colorado conseguiu superar os reflexos do ano passado e mostrou tranquilidade nos dois duelos.

"Saímos atrás no outro jogo, conseguimos o empate, no primeiro jogo tivemos mais chances. No primeiro tempo poderíamos ter ganho. Hoje foi um p... jogo. Um jogaço, emocionante. Conseguimos o empate no segundo tempo, já no primeiro chegamos algumas vezes na área do adversário. Sem dar chutão, sem nos desesperar dentro de campo. Isso é o mais importante. O time vem de uma queda no Brasileiro e é uma das maiores do futebol brasileiro. Na Série B, tem vários problemas. Superamos tudo isso. A tranquilidade que tivemos para buscar o empate foi de jogadores que já esqueceram tudo que já aconteceu no ano passado e estão com vontade de conseguir neste ano", disse o treinador.

O Inter saiu atrás, mas se recuperou, não desistiu nunca, empatou e conseguiu a vaga nos pênaltis. Após a partida, muitos desabafos dos jogadores contra o comentarista Neto, da TV Bandeirantes. Mas segundo Zago, as palavras dele não foram usadas no vestiário.

"Eu, assim, sou treinador de futebol, não sou psicólogo. Minha parte é futebol. Trato os jogadores com respeito, carinho, chamo atenção quando tem, sem xingar, sem mal tratar, sem me alterar, é meu jeito. O importante é fazer com que os jogadores entendam o que nós colocamos como objetivo desde o início. Implantamos uma metodologia de uma maneira de jogar onde os jogadores vão encaixando na maneira de jogar, não na parte individual. Nós temos um modelo de jogo, que é importante. E os jogadores vem cumprindo à risca, treinando incessantemente. Com vontade, procurando ouvir o que passamos para eles, e questão de comentários, eu gosto de ler as coisas do futebol, é minha profissão. Não sou político. Comentários em relação ao time, sim. Mas não levo ao vestiário. Cada um faz o que bem entende. O importante é termos o respeito entre nós", afirmou.

Antonio Carlos ainda enumerou estatísticas para sublinhar o que avaliou como uma boa atuação de sua equipe.

"Desde o início eu falo que temos um grupo qualificado. É um ano atípico na história do Internacional. Tivemos dificuldades no início, ainda não é o ideal. Mas estamos trabalhando muito para que chegue no nosso objetivo principal, que é a Série B e tenhamos personalidade, confiança como hoje... Hoje tivemos posse de bola no campo do adversário, maior número de finalizações. Só fizemos sete faltas no jogo. 35% das finalizações no gol. Sete ou oito chances. Sabemos que era um jogo que seria decidido com 180 minutos, não apenas 90, como muitos pensavam que poderia ser. Viemos aqui, tivemos personalidade, é nosso estilo de jogo e estamos crescendo. Não muda muito em relação ao trabalho que vamos fazer. É uma classificação que tem que ser comemorada, mas sempre com os pés no chão até porque no domingo temos o jogo de volta do Campeonato Gaúcho e queremos chegar à final que é importante", finalizou.

O Inter conhecerá seu adversário nesta quinta-feira. Na sede da CBF, o sorteio das oitavas de final irá indicar o caminho na Copa do Brasil.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos