No duelo de ricos, Palmeiras e Inter fazem "pouco caso" com Copa do Brasil

Danilo Lavieri e Marinho Saldanha

Do UOL, em São Paulo e em Porto Alegre

  • Rubens Cavallari/Folhapress

    Róger Guedes, do Palmeiras, tenta vencer a marcação do Internacional

    Róger Guedes, do Palmeiras, tenta vencer a marcação do Internacional

O duelo desta quarta-feira (16), pelas oitavas de finais da Copa do Brasil, coloca frente a frente times que entram em campo com o discurso de que a competição não é tão importante assim. Palmeiras e Internacional jogam no Allianz Parque a partir das 21h45 (de Brasília) tratando o torneio como acessório, mas com uma pressão parecida: são os principais favoritos de suas respectivas divisões pelo alto investimento em comparação aos rivais diretos. 

Atual campeã brasileira, a equipe paulista diz priorizar a Libertadores, mas vive a expectativa de dar uma resposta para seu torcedor, para o patrocinador e até para a crítica de que tem um elenco capaz de jogar todas as competições com chance de ganhar. Foram mais de R$ 75 milhões injetados só em 2017.

O alto investimento na formação do time, com direito a um banco de reservas com nomes de luxo como Roger Guedes e Michel Bastos, fez a torcida comprar mais de 26 mil ingressos com antecedência.

Também por isso, Cuca sinalizou que deve promover troca na equipe titular. Em todas as suas últimas entrevistas, o treinador avisou que a sequência de jogos daqui para frente fará ele olhar por todos os mais de 30 atletas que tem à disposição. O time que começa, no entanto, ainda é um mistério.

Na entrevista pré-jogo, Dudu disse que entende que o Palmeiras tem elenco para rodar, mas avisou que está com vontade de jogar. Ele reconheceu que a responsabilidade de vencer é alviverde por toda a expectativa gerada em cima do elenco.

A Série B não é comum ao Inter. Rebaixado pela primeira vez na história, o Colorado tratou de ignorar a queda na qualidade dos adversários que teria pela frente. Em vez de cumprir o script padrão que aponta corte de gastos e contratações modestas, o clube gaúcho aumentou a folha de pagamento, que se aproxima dos R$ 7 milhões mensais.

Na hora de reforçar o time, trouxe William Pottker, referendado pela artilharia do Brasileirão passado, a do Paulista deste ano e o prêmio de craque da competição estadual. Contou com o regresso de D'Alessandro, que esteve emprestado ao River Plate, manteve Nico López, Valdívia, Sasha, Danilo Fernandes, e ainda contratou Uendel, Marcelo Cirino, Edenílson, Victor Cuesta, e Felipe Gutiérrez, entre outros. Chegou aos 13 reforços no ano e montou um grupo com 'cara de Série A'.

É considerado pelos concorrentes o 'time a ser batido' na competição. E sabe disso. Portanto, montou sua estratégia esperando adversários fechados e sabe que a maioria dos rivais irá postar-se defensivamente e sair no contra-ataque, apenas. Então, acostumou-se a ser protagonista. Diante do Palmeiras, promete que não mudará a postura.

Com evidente prioridade na competição nacional e a perspectiva de voltar à elite, o Inter não esconde que a Copa do Brasil é 'acessório'. Mesmo que a teoria indique facilidade na segunda divisão, qualquer avanço na Copa é visto como 'lucro', uma vez que a competição passa longe da prioridade vermelha. Em comparação com rivais da outra competição, o Inter tem a maior folha, a melhor estrutura e é, de longe, o time com o maior número de títulos importantes conquistados. Na estreia, justificou a diferença ao bater o Londrina por 3 a 0, fora de casa.

"Independentemente do que acontecer contra o Palmeiras, não vai mudar em nada nosso objetivo que é a Série B, e nossa forma de jogar também", disse o técnico Antonio Carlos Zago. "Não podemos esquecer que nosso principal objetivo é a Série B. Não adianta falar nada diferente disso. É importante seguir na Copa do Brasil, sempre sonhamos em queimar uma etapa classificando o time para a Libertadores, que seria importante nesta reconstrução, mas o objetivo principal é voltar para a Série A", completou.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS X INTERNACIONAL

Data e hora: 17/05/2017 (quarta-feira), às 21h45 (Brasília)
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Transmissão na TV: Globo
Árbitro: Sandro Meira Ricci (SC)
Auxiliares: Kleber Lúcio Gil e Neuza Inês Back

PALMEIRAS: Prass; Fabiano, Dracena, Mina e Egídio; Felipe Melo; Dudu, Tchê Tchê, Michel Bastos e Guedes; Borja.
Técnico: Cuca

INTERNACIONAL: Daniel; William, Léo Ortiz, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Edenílson, Felipe Gutiérrez, Marcelo Cirino e D'Alessandro; Nico López.
Técnico: Antonio Carlos Zago

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos