Bons jogos pelo Atlético-MG e elogio de Tite aumentam procura por Gabriel

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

    Gabriel vence disputa com mais experientes e segue como titular do Atlético-MG

    Gabriel vence disputa com mais experientes e segue como titular do Atlético-MG

Na semana passada o técnico Tite convocou a seleção brasileira para os amistosos com Argentina e Austrália, marcados para a primeira quinzena de julho. Mas foi um comentário do treinador que chamou bastante atenção, especialmente de clubes europeus, como apurou o UOL Esporte. Tite fez elogios ao zagueiro Gabriel, titular do Atlético-MG desde outubro do ano passado.

"O Gabriel, do Atlético Mineiro, é a versão Marquinhos jogando no futebol brasileiro", avaliou o comandante da seleção nacional. "Fico feliz com o elogio do Tite, mas ainda estou muito longe do Marquinhos, que já atingiu um alto nível na Europa. Tenho que trabalhar muito para chegar nele. Então eu fico feliz", respondeu o jogador, que prefere evitar comparações.

Tite não elogiou Gabriel por acaso. Recentemente, dois membros da comissão técnica da seleção brasileira foram a jogos do Atlético. O auxiliar Cléber Xavier acompanhou a vitória sobre o Libertad, por 2 a 0, pela Copa Libertadores, enquanto coordenador Edu Gaspar esteve no Independência na final do Campeonato Mineiro, no triunfo alvinegro por 2 a 1 sobre o Cruzeiro.

Ambos acompanharam vitórias atleticanas e boas atuações de Gabriel. Motivo pelo qual o treinador lembrou do zagueiro, apesar da não convocação. O elogio de Tite chegou em um momento importante para o defensor atleticano em 2017. Gabriel tem se destacado no sistema defensivo do time montado por Roger Machado.

Aliás, não foi apenas Tite que fez elogios a Gabriel. O comandante atleticano também elogiou seu zagueiro e o comparou a Thiago Silva, com quem trabalhou no Fluminense, no final da carreira como jogador, uma década atrás. "O Gabriel me lembra muito o Thiago Silva, que joguei junto no Fluminense. Bastante técnico, uma velocidade importante para a função. Muito embora não tenha a estatura do Léo (Silva), consegue atacar a bola muito alto", comparou Roger Machado, após o primeiro clássico na final do Mineiro, que terminou empatado sem gols, no Mineirão, e Gabriel foi um dos destaques.

Gabriel tem 23 jogos na temporada. É o zagueiro do Atlético que mais atuou em 2017. E por um simples motivo: ele é titular absoluto de Roger Machado. Nesta quarta-feira, contra o Paraná, pela Copa do Brasil, às 21h45, no Couto Pereira, em Curitiba, Gabriel completará a marca de 50 partidas como profissional do Atlético, com três gols marcados.

Amizade com Fred rende brincadeiras e conselhos

Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro
Gabriel tem Fred como seu melhor amigo no elenco do Atlético-MG

"Nada, não rendeu nada. Só a zoação do Fred", respondeu Gabriel ao ser perguntando se o elogio feito por Tite já tinha rendido alguma coisa para ele.

E a relação com o atacante é algo que o zagueiro cultiva desde junho do ano passado. Gabriel foi o primeiro jogador do Atlético a se concentrar com Fred, quando ele chegou à Cidade do Galo. Desde então, mesmo com 11 anos de diferença de idade entre os dois, a relação é de muita amizade. Dentro e fora do clube.

Tanto que Gabriel não tem dúvidas a quem recorrer quando quer conversar sobre a carreira. Procurado por clubes europeus, o defensor sabe que pode não ficar muito mais tempo em Belo Horizonte. Então, nada melhor do que conversar com Fred sobre o assunto, assim como seleção brasileira, algo que Gabriel tem como meta para o futuro.

"Eu procuro com a família e com o Fred, que é meu amigo e tem muito mais experiência nisso, de especulações e propostas", contou Gabriel, que revelou ser alvo de piadas do centroavante.

"O Fred é um cara muito moleque. Não pode ver essas conversas que já vem brincar. Não pode me ver deitado que já vem dizendo que estou com pensamento na Europa. É um cara muito brincalhão. Ele não perde a oportunidade".

Titularidade conquistada em oito jogos

Gabriel começou a temporada 2016 como a quinta opção do então técnico do Atlético, Diego Aguirre. Leonardo Silva e Erazo formavam a defesa titular, com Tiago e Edcarlos como os primeiros na lista de preferências do treinador. Aos poucos, Gabriel foi conquistando seu espaço, até se tornar o primeiro reserva da defesa atleticana.

Com a grave lesão de Leonardo Silva em outubro de 2016, contra o Juventude, pelas quartas de final da Copa do Brasil, Gabriel entrou no time para não sair mais, já no time treinado por Marcelo Oliveira. Ele foi titular em oito partidas no complemento da temporada atleticana. Jogos importantes, como as semifinais e finais da Copa do Brasil, além dos confrontos com Palmeiras e Flamengo, pelo Brasileirão, equipes que também disputavam o título nacional no ano passado.

O bom desempenho de Gabriel nos grandes jogos, mesmo com menos de 30 partidas como jogador profissional, deixou claro para o técnico Roger Machado o valor do zagueiro. Tanto que o defensor foi mantido como titular em 2017. Quando Leonardo Silva foi liberado para jogar, recuperado da lesão que sofreu em outubro de 2016, Gabriel seguiu na equipe. O experiente Felipe Santana virou o primeiro reserva para a defesa do Atlético.

Gabriel quer ficar, mas empresário faz parceria com Deco

Reprodução Instagram
Gabriel e seu empresário, Frederico Faria, se reuniram recentemente com Deco

"Sei que estão acontecendo algumas sondagens, mas nada oficial. Primeiramente, meu pensamento está aqui no Atlético. O futuro eu deixo nas mãos de Deus, do meu empresário e do Atlético. Mas eu pretendo ficar aqui, conquistar títulos e fazer história com essa camisa".

Esse é o discurso de Gabriel neste momento. Pelo foi assim que ele reagiu ao ser perguntado sobre a possibilidade de trocar o Atlético por alguma equipe da Europa nas próximas semanas. Mas fora de campo, o trabalho é para que Gabriel ganhe ainda mais visibilidade na Europa. Tanto que o agente do jogador, Frederico Faria, acertou uma parceira com Deco. O ex-jogador se tornou empresário e com grande influência nas equipes europeias.

Sucesso de Jemerson faz atleticano ficar valorizado

Em janeiro do ano passado o Atlético vendeu Jemerson para o Monaco. O clube francês pagou 11 milhões de euros (pouco mais de R$ 48 milhões na cotação da época). Um ano e meio depois, o zagueiro revelado pelo Atlético faz sucesso na França. É titular da equipe que conquistou o campeonato nacional e foi semifinalista da Liga dos Campeões.

O sucesso de Gabriel no Atlético é um atrativo para clubes estrangeiros, especialmente da França, que acreditam que o zagueiro teve a 'mesma escola de Jemerson'. Tanto é assim, que Bordeaux e Hamburgo já procuram o Atlético e Gabriel.

"Nada oficial, sempre são sondagens, como acontece no final do ano passado. Aqueles que estão sondando merecem, estão mostrando um futebol que deixa o pessoal do outro lado do Atlântico atento", comentou o presidente do clube mineiro, Daniel Nepomuceno.

E a tendência é que propostas cheguem por Gabriel em breve. Com 22 anos, o zagueiro é o titular mais novo do Atlético. Algo que deve se intensificar após o jogador do Atlético ser elogiado pelo treinador da seleção brasileira.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos