"Futebol raiz": Felipe Melo e D'Ale são mais parecidos do que você pensa

Danilo Lavieri e Marinho Saldanha

Do UOL, em São Paulo e em Porto Alegre

  • Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

    Felipe Melo e D'Alessandro se enfrentaram no jogo entre Palmeiras e Internacional

    Felipe Melo e D'Alessandro se enfrentaram no jogo entre Palmeiras e Internacional

Palmeiras e Internacional se enfrentam nesta quarta-feira (31) e colocam frente a frente jogadores que mantêm um estilo cada vez mais raro no futebol dos dias de hoje. Ícones dos dois times, Felipe Melo e D'Alessandro gostam de expor seus pensamentos (não só no futebol), são adeptos das provocações dentro de campo, têm o papel de referência dentro do grupo e com torcedores e, ao mesmo tempo, conseguem ser respeitados e bem-vistos por rivais.

Não foi à toa que os dois se elogiaram após a partida de ida que terminou 1 a 0 para os paulistas, no Allianz Parque. No jogo desta quarta, no Beira-Rio, a partir das 21h45, os colorados precisam vencer por dois gols de diferença para avançar às quartas da Copa do Brasil.

Daniel Vorley/AGIF
Felipe Melo vibra com virada do Palmeiras na Vila Belmiro

Respeito do rival e sorriso de Nenê após chapéu

Felipe, por exemplo, chegou ao Palmeiras com a polêmica entrevista sobre tapa na cara de uruguaio. Logo nos primeiros jogos, ficou marcado por gritar na cara de um adversário ao conseguir evitar a tentativa de chapéu. Os holofotes foram diretos para a vítima: Samuel, do Botafogo-SP. E a resposta surpreendeu.

O lateral direito postou nas redes sociais e deu entrevistas afirmando que Felipe é um cara "leal, humilde e que serve de exemplo para todo mundo". E sua técnica também é reconhecida. Durante o jogo contra o Vasco, Melo aplicou chapéu em Nenê e, logo em seguida, foi flagrado brincando com o veterano atacante vascaíno, mostrando intimidade entre eles.

Após vitórias importantes, como a virada em cima do Santos em plena Vila Belmiro, o volante provocou a torcida rival e defendeu, em entrevistas, o que torcedores convencionaram chamar de "futebol raiz": provocações 'saudáveis' com os rivais, comemorações especiais com a sua torcida e a festa no estádio, com jogos com torcidas de visitantes, bandeirões e sinalizadores.

Nos jogos, é comum ver os jogadores cumprimentando Felipe Melo após a partida, independentemente de eventuais climas quentes dentro de campo. No grupo, o volante é respeitado, visto como líder e ainda exemplo para os jovens. Recentemente, também virou referência para os gringos do elenco.

Jeremias Wernek/UOL
D'Alessandro não faz questão de esconder suas emoções

D'Ale recebe estrangeiros no Sul e é elogiado por gremistas

D'Alessandro pertence ao Internacional, mas é outro gringo que rasgou elogios e até comparou sua personalidade com a do palmeirense. "Felipe é um cara sincero, que fala o que pensa e tem poucos no futebol hoje assim. Gostaria de ter ele no meu time também. É experiente, cascudo, jogou na Europa. Sabe o que fala e com certeza sabe que o Inter é muito grande. Vi o vídeo no vestiário e agradeci pelas palavras", afirmou.

"Ele é sincero e tem poucos assim no futebol. Às vezes têm coisas criadas pela imprensa, esperavam que a gente fosse brigar, mas somos parecidos. Meio malucos. Sabia que nos daríamos bem", completou o argentino.

Entre os boleiros, apesar das constantes imagens de provocações e disputas, D'Alessandro é bastante respeitado. Sempre participa das discussões dos direitos de jogadores de futebol, é responsável por liderar conversas no vestiário e tem uma bem sucedida festa de fim de ano que já virou referência no calendário de peladas dos finais de ano, reunindo importantes ex-jogadores de todo o continente.

O respeito a D'Alessandro é tamanho que até mesmo no Grêmio, tradicional rival do Internacional, ele é repetido. Jogadores e dirigentes do Tricolor elegem o gringo como principal expoente do Inter, um ídolo, que se formou por muito além do feito em campo. Ele mantém boa relação com jogadores de diversas condições e todos enaltecem a humildade. 

D'Alessandro tem o costume de recepcionar os estrangeiros que atuam em Porto Alegre (até mesmo os do Grêmio) e dá atenção aos que buscam crescer no cenário do futebol. Durante o Gauchão, ele ficou por algum tempo conversando com Elyeser, hoje no Goiás, tentando convencê-lo a atuar no Inter. Com João Paulo, que trocou o Novo Hamburgo pelo Juventude, deu a camisa de presente e recebeu idolatria.

"Nunca vou me esquecer do que ele fez. É um cara muito humilde, significa muito para todos os jogadores. Se tem a imagem dele brigando, mas não é nada disso. Tem um coração enorme", disse o centroavante após a final do Estadual.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL x PALMEIRAS


Data: 31 de maio de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Local: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro - MG (FIFA)
Assistentes: Marcio Eustaquio S Santiago - MG (CBF) e Pablo Almeida da Costa - MG (CBF)

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; William, Léo Ortiz, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Felipe Gutiérrez, Edenílson e D'Alessandro; Marcelo Cirino e Nico López
Técnico:  Odair Hellmann

PALMEIRAS: Prass; Fabiano, Mina, Edu Dracena e Zé Roberto; Felipe Melo, Tchê Tchê e Jean; Willian, Dudu e Guedes
Técnico: Cuca

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos