Crianças em 2003, titulares do Cruzeiro sonham com novo título sobre o Fla

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Das categorias de base, Léo tinha 15 anos quando viu o Cruzeiro campeão em 2003

    Das categorias de base, Léo tinha 15 anos quando viu o Cruzeiro campeão em 2003

Pela segunda vez na história, Flamengo e Cruzeiro decidirão o título da Copa do Brasil. O primeiro capítulo da finalíssima de 2017 começará nesta quinta-feira, às 21h45, no Maracanã. Em campo, estarão alguns jovens e veteranos em busca do título inédito na carreira. Dentre eles, se destacam o zagueiro Léo e o atacante Alisson. Hoje titulares, os dois eram apenas torcedores há 14 anos, quando o time mineiro derrotou os cariocas e faturou sua última Copa do Brasil.

No ano da Tríplice Coroa, nem Léo e muito menos Alisson formavam o plantel principal do Cruzeiro. Aos 15 anos, o zagueiro já até tinha idade para jogar nas categorias de base, mas ainda sonhava em um dia poder disputar aquela mesma Copa do Brasil, erguida por Alex, Deivid, Luisão e outros craques.

"Eu já estava nas categorias de base, correndo atrás. Estava na expectativa para aquele jogo, que era um jogo grande, como será esse de quinta. Tivemos um retrospecto bom e um resultado positivo. Fiquei na frente da televisão vendo aquele jogo. Por isso, poder jogar hoje, estar presente em uma final, é uma alegria e valorização muito grande", comentou o zagueiro Léo.

Assim como naquela final de 2003, o Cruzeiro também fez o primeiro jogo da final no Maracanã. Com um golaço antológico de Alex, de letra, a Raposa levou o empate em 1 a 1 para o Mineirão e sacramentou a conquista dentro de casa, vencendo por 3 a 1 com gols de Deivid, Aristizábal e Luisão. Ainda mais novo que o companheiro Léo, o atacante Alisson estava prestes a completar dez anos de idade. Campeão Brasileiro duas vezes como profissional, hoje o jovem praticamente não lembra daquele momento histórico na história celeste, mas alimenta o sonho de voltar a ver seu time campeão da Copa do Brasil, agora como titular na decisão.

Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro

"Não lembro muito como foi, mas agora tenho a oportunidade de jogar uma final de Copa do Brasil. É a realização de um grande sonho, quem sabe eu consiga realizá-lo, assim como realizei com o título brasileiro", comentou o jogador, que já é bicampeão nacional como profissional, mas também bicampeão brasileiro sub-20, além de um título mineiro em 2014.

"Chegar à Toca, ver seu nome em um quadro, uma foto aqui dentro, sem dúvidas é uma felicidade enorme. Pra mim não é diferente, sempre sonhei isso quando criança. Nasci aqui dentro, vivi minha infância aqui. Quero continuar fazendo história, agora com essa oportunidade na Copa do Brasil".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos