Quem é o colombiano que acabou com o domínio de Márcio Araújo no Flamengo?

Vinicius Castro

Do UOL, em Belo Horizonte

Dia 28 de junho de 2017. Cuéllar acerta um chute de rara felicidade e faz o segundo gol do Flamengo na vitória sobre o Santos por 2 a 0, na Copa do Brasil. Ali, a história do volante colombiano começou a mudar na Gávea. Ainda que a titularidade definitiva só tenha sido conquistada após a chegada do técnico Reinaldo Rueda, o primeiro tento com a camisa rubro-negra foi emblemático.

O camisa 26 já era cantado em verso e prosa pelos torcedores para substituir o contestado Márcio Araújo, então intocável sob o comando do ex-treinador Zé Ricardo. Cuéllar tinha raras oportunidades pelo Rubro-negro e chegou a ficar fora de 34 jogos antes de balançar as redes. Soava como incoerência deixar de lado um atleta da seleção colombiana e que demandou o investimento de R$ 8 milhões do clube para ser contratado.

Mas como barrar Márcio Araújo? Parece clichê, mas foi com silêncio e chegando mais cedo do que todos os companheiros aos treinamentos que o colombiano conseguiu. Se o antigo titular convive com a hostilidade da torcida, Cuéllar sempre teve o apoio quando entrou. Bastava uma sequência e a confiança do técnico, algo que ele definitivamente não teve com o comandante anterior.

Bruno Kelly/REUTERS
O volante Cuéllar e o tradicional coração para o filho Paolo e a mulher Gheraldin
Mesmo com o cenário desfavorável e uma transferência para o Vitória engatilhada, o colombiano não desanimou. Enquanto treinava, se dedicava a aprender português sozinho. Hoje, dos estrangeiros, é quem fala fluentemente o idioma. Se manteve extrovertido e como um dos jogadores mais queridos do elenco. Deu certo. Não é exagero dizer que a torcida do Flamengo vive um caso de amor com o volante.

"O Gustavo [Cuéllar] é um jogador muito inteligente. Ele dá ordem e claridade ao início de jogo da equipe. Asseguro que crescerá ainda mais e dará um bom complemento para os outros jogadores. É muito gratificante observar as suas atuações. Que ele siga nessa linha de comportamento", afirmou o técnico Reinaldo Rueda.

Aos 24 anos, o colombiano também tira força da família. Quando não está em compromissos com o Flamengo, ele se dedica ao filho Paolo, xará do comandante de ataque do time, o peruano Guerrero. É a mulher Gheraldin a responsável pela base em casa que tanto contribuiu para que Cuéllar encontrasse o seu lugar no clube de maior torcida do país.

O filho do volante nasceu em 1º de novembro do ano passado e ele homenageou esposa e primogênito com tatuagens nos braços. Marcar gols não é uma constante - foram dois no Flamengo. Quando os faz, no entanto, corre para a arquibancada com o gesto do coração nas mãos. O endereço é óbvio: mulher e filho.

No cenário atual, a torcida do Flamengo também se sente atingida pelo gesto. Cuéllar conquistou os rubro-negros e pode dar ainda mais um passo para se estabilizar de vez no clube com a final da Copa do Brasil. A sorte está lançada. Conquistar o título seria mais um ato do colombiano em sua obsessão de aproveitar as oportunidades ao lado da família.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos