Topo

Esporte


Classificado, Diniz fala em política e lamenta pouco ritmo do Atlético-PR

Miguel Locatelli/Site Oficial CAP
Raphael Veiga fez sua estreia com a camisa do Atlético Imagem: Miguel Locatelli/Site Oficial CAP

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

31/01/2018 11h33

Classificado para a segunda fase da Copa do Brasil após empatar em 0 a 0 com o Caxias no Rio Grande do Sul, o Atlético Paranaense tem pela frente o clássico Atletiba, domingo, 17h no Couto Pereira, mas seu time principal não deverá atuar na competição, voltando a campo apenas em 14 ou 21 de fevereiro (a definir), contra Tubarão-SC ou América-RN, pela Copa do Brasil, também em jogo único, mas na Arena da Baixada.

O técnico Fernando Diniz reconheceu a falta de ritmo do clube, mas assumiu que seu elenco não atuará no Estadual por uma questão política. “Os jogadores vieram de um mês de inatividade, começamos a trabalhar no dia 8 de janeiro. A gente treinou em sete, oito dias, fizemos um jogo-treino e era o que era permitido fazer. A gente nem conseguiu fazer um amistoso de grande porte. As equipes estão disputando os Estaduais e a instituição tem uma política de focar nas competições internacionais e nacionais. O desempenho daquilo que a gente se comprometeu a fazer não estava tão abaixo assim”, comentou em entrevista coletiva.

O Atlético inscreveu 19 jogadores no Paranaense, de 30 vagas disponíveis, sendo que o goleiro Santos, o volante Bruno Guimarães e os meias Matheus Rossetto e Matheus Anjos, que foram guindados ao elenco principal, estão na lista. O clube tem direito a outras 11 inscrições e ainda a outras cinco trocas caso decida colocar em campo no Estadual alguns atletas do elenco principal.

 

Mais Esporte