Brenner decide contra o Madureira, e São Paulo avança na Copa do Brasil

Do UOL, em São Paulo

  • ROBSON VILELA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O São Paulo não fez muito e foi vaiado pela própria torcida, mas venceu o Madureira por 1 a 0 nesta quarta-feira, em Londrina (PR), e avançou para a segunda fase da Copa do Brasil. O único gol da partida foi feito por Brenner, após boa jogada de Marcos Guilherme pela direita do ataque.

O Tricolor terá que esperar até conhecer seu adversário na próxima etapa da competição, uma vez que Manaus e CSA só se enfrentam no dia 7 de fevereiro, às 22h30 (de Brasília), na Arena da Amazônia. A disputa ocorre em jogo único e a equipe alagoana terá a vantagem do empate por ser visitante.

Os melhores: Marcos Guilherme e Brenner

Rubens Chiri/São Paulo

Em um time com meio-campo relativamente pesado, Dorival Júnior não esconde a importância dos pontas em seu esquema. No intervalo, Marcos Guilherme acertou ao dizer que o lado direito do ataque era o melhor caminho para a equipe: mais ligeiro que o lateral Douglas Lima, ele usou e abusou de sua velocidade e deu um drible da vaca no marcador aos 17 do primeiro tempo.

O camisa 23 tricolor correu para a linha de fundo e cruzou para Brenner, que surgiu bem posicionado nas costas da zaga e livre de marcação, já que os adversários pareciam mais preocupados com Diego Souza. O menino de Cotia empurrou de primeira para o fundo da rede e marcou para o São Paulo.

Rubens Chiri/São Paulo

Não foi por acaso que o lance deu certo. A jogada do gol que abriu o placar nesta quarta costuma ser treinada à exaustão pelo elenco são-paulino; até já havia aparecido no clássico contra o Corinthians, quando Militão cruzou pela direita e viu Brenner completar para a meta com um toque muito parecido – na ocasião, Diego Souza também confundiu a zaga.

Meros 40 segundos antes, o Madureira quase havia sofrido um gol do jovem atacante, quando ele pegou um rebote a 10 metros de distância da área e tirou tinta da trave esquerda do goleiro Douglas. Brenner ainda deu um susto na saída para o intervalo, ao dizer aos repórteres que estava "passando mal".

Mas o garoto voltou normalmente para os 45 minutos finais e, aos 18 do segundo tempo, recebeu um novo passe açucarado de Marcos Guilherme; só errou a finalização de chapa.

O pior: Edimar

Rubens Chiri/São Paulo

O lateral errou passes que pareciam simples e, aos 24 do primeiro tempo, falhou em um cruzamento rasteiro que irritou a torcida imediatamente. Ouviu reclamações frequentes das arquibancadas do Estádio do Café e foi alvo de críticas também na internet.

Para seu azar, Edimar tinha duas sombras no banco de reservas nesta noite: Reinaldo, que teve o nome gritado pelos torcedores, e Júnior Tavares, que voltou a ser relacionado após ficar de fora da lista nos últimos três jogos – entretanto, apesar dos pedidos da torcida na internet, o jogador vem treinando como ponta.

Velho conhecido: Souza ao ataque

Muito em função da própria postura do Madureira, o São Paulo esteve absoluto na posse de bola até o gol de Brenner. Até então, a equipe carioca havia avançado poucas vezes para o campo de ataque e sofria para se movimentar com Souza, que estava constantemente distante da área de Sidão. Ex-Corinthians e Flamengo, o centroavante é velho conhecido entre os grandes clubes.

No entanto, o Tricolor mudou sua atitude nos últimos 20 minutos do primeiro tempo e deu mais espaço ao Madureira. Aos 36, Souza fez bela jogada ao proteger e carregar a bola antes de soltá-la para Luciano Naninho, que errou a conclusão e acertou a rede pelo lado de fora.

Diego Souza mal posicionado

A dupla Shaylon e Diego Souza (garçom e camisa 9) não foi muito eficaz. O garoto se precipitou em alguns passes e lançamentos para o veterano, que, bem mais experiente, falhou ainda mais ao ficar em posição irregular ao receber as infiltrações. Foi substituído por Bissoli na metade do segundo tempo.

Araruna na vaga de Petros

Expulso na última rodada do Brasileirão 2017, em jogo contra o Bahia no Morumbi, Petros pegou dois jogos de suspensão em torneios organizados pela CBF. Portanto, o volante foi desfalque neste jogo e também não poderá atuar na segunda fase. Seu substituto foi Araruna, que reclamou muito de pênalti aos oito do segundo tempo, após toque da bola no braço de Thiago Medeiros.

Cadê os reforços?

Nenê e Tréllez foram contratados junto a Vasco e Vitória, respectivamente, mas não estão regularizados no BID da CBF. Portanto, ainda não podem jogar. O goleiro Jean, que também é reforço tricolor para a temporada, só não estreou ainda por opção de Dorival Júnior, que segue apostando em Sidão.

Atenção às regras

As duas primeiras fases da Copa do Brasil serão realizadas em jogos únicos, sem volta. Nesta primeira etapa, se houver empate em alguma das partidas, quem segue no torneio é o time visitante – que sempre será a equipe melhor avaliada no ranking da CBF. Depois, na fase seguinte, o empate leva aos pênaltis.

Por que em Londrina?

O Madureira é carioca, mas o clube optou por enviar a partida contra o São Paulo para o Paraná na expectativa de obter uma renda maior. Os números finais ainda não foram divulgados.

FICHA TÉCNICA
MADUREIRA-RJ 0 X 1 SÃO PAULO

Data e hora: 31 de janeiro de 2018, às 21h45 (de Brasília)
Local: Estádio do Café, em Londrina-PR
Árbitro: Rafael Traci (PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn e Pedro Martinelli Christino (ambos do PR)
Cartões amarelos: Filippe Formiga (Madureira); Anderson Martins (São Paulo)
Gol: Brenner, aos 17 minutos do primeiro tempo (São Paulo)

MADUREIRA: Douglas; Filippe Formiga, Danrlei, Edmário e Douglas Lima (Renan); Rezende (Téssio), William e Thiago Medeiros; Luciano Naninho, Igor Catatau e Souza (Derek)
Técnico: Acácio

SÃO PAULO: Sidão; Militão, Rodrigo Caio, Anderson Martins e Edimar; Jucilei, Araruna (Lucas Fernandes) e Shaylon; Marcos Guilherme, Brenner (Paulinho) e Diego Souza (Bissoli)
Técnico: Dorival Júnior

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos