Atlético-MG vai mal, mas regulamento ajuda e time avança na Copa do Brasil

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Divulgação Atlético-MG

    Atacante Erik fez o gol do Atlético-MG ainda no primeiro tempo de jogo

    Atacante Erik fez o gol do Atlético-MG ainda no primeiro tempo de jogo

É apenas o começo da temporada, mas o torcedor do Atlético-MG já tem motivos suficientes para se preocupar com o que vem pela frente. O Galo está na segunda fase da Copa do Brasil, mas não pelo futebol apresentado diante do Atlético-AC, e sim pelo regulamento do torneio, que dava ao time mineiro a vantagem de empatar o jogo. E foi isso que o Atlético conseguiu, com muito custo, na Arena da Floresta. O resultado em 1 a 1 foi melhor para os mineiros, que seguem na competição e vão enfrentar o Botafogo-PB na próxima fase.

Apesar da classificação, a sensação que o time treinado por Oswaldo de Oliveira passou é que está muito longe de competir com as principais forças do futebol brasileiro. O gol de Erik, no fim do primeiro tempo, foi tanto quanto achado. Muito pouco para uma das equipes mais caras do país diante de um adversário modesto, recém promovido à Série C do Brasileirão.

Jogo do Atlético não teve um melhor nem pior

O salarial anual de apenas um dos grandes jogadores do Atlético-MG é suficiente para bancar todo o futebol do Atlético-AC. Mas no gramado da Arena da Floresta não se viu toda essa superioridade. O time mineiro, mais uma vez, mostrou bastante dificuldade para criar jogadas e pouco perigo levou ao gol da equipe do Acre, que até o ano passado contava com jogadores que não se dedicavam ao futebol em tempo integral. Diante de mais uma atuação tão ruim, não tem como apontar um jogador de destaque e nem mesmo um que foi muito mal, já que foi uma péssima exibição do conjunto alvinegro.

Erik aparece como titular e acaba com jejum

Desde julho de 2016 que o atacante Erik não fazia um gol. Na derrota do Palmeiras para o Botafogo, por 3 a 1, no Rio de Janeiro, o atacante anotou o único gol da equipe paulista. Foram  pouco mais de 18 meses de jejum. Na quarta partida pelo Atlético, o jogador foi escalado como titular, no lugar de Cazares, e foi muito bem. Erik se movimentou bastante, apesar da fraca atuação do conjunto alvinegro. O camisa 18 foi premiado com o primeiro gol pelo Galo, que deu o empate ao time mineiro, aos 43 minutos da etapa inicial. Gol que deu muita tranquilidade para o Atlético no segundo tempo.

Defesa erra muito e permite gol do Atlético-AC

Falhas individuais e coletivas. Os primeiros minutos foram de terror para defesa do Atlético-MG. Tanto que o time da casa aproveitou uma dessas bobeiras para fazer o primeiro gol da noite, com o zagueiro João Marcus. O gol serviu para criar mais alguns minutos de instabilidade na equipe mineira, que demorou a segurar o Atlético-AC, bastante animado no início do jogo.

Atlético-MG estreou camisa preta, lançada em 2017

Divulgação Atlético-MG
Lançada em novembro de 2017, camisa preta do Atlético-MG foi usada pela primeira vez na estreia da Copa do Brasil

Em novembro do ano passado o Atlético-MG lançou a terceira camisa, toda preta, para comemorar a marca de 100 sócios que o clube atingiu durante a temporada. No entanto, por ser uma camisa exclusiva aos associados do Galo, o time não disputou nenhuma partida do Campeonato Brasileiro com o novo modelo. Porém, diante do Atlético-AC, a diretoria alvinegra resolveu usar a camisa preta. O clube informou através da assessoria que não existe um motivo especial pela opção.

Gol "achado" evita derrota parcial do Galo

Assim como aconteceu na partida anterior, contra URT, o Atlético-MG ficou com a bola nos pés, mas não conseguia criar nenhuma boa oportunidade de gol. A derrota parcial na primeira etapa era até justa, pelo o que as duas equipes estavam apresentando. Apesar de ser um time muito mais caro do que o rival do Acre, o Galo não conseguiu se impor dentro de campo. O gol de Erik, após rebote do goleiro, foi um "achado" para o clube mineiro, que não se encontrou na primeira etapa.

Atlético-AC foi para cima do xará poderoso

A história do Atlético-MG e o elenco muito mais caro não intimidaram o Atlético-AC. Após ser melhor no primeiro tempo, o time da casa foi para cima logo no começo do segundo tempo. As duas primeiras alterações do técnico Álvaro Miguéis foram para deixar o time com mais poder ofensivo. E deu resultado. A equipe da casa se impôs e tomou conta do jogo e criou boas oportunidades, sendo a bola de Polaco na trave a melhor delas.

Ricardo Oliveira e Elias perdem gols incríveis

Pior em campo e sofrendo com os ataques do Atlético-AC, o Atlético-MG teve uma grande chance de fazer o segundo gol. Após erro da defesa e rebote do goleiro Raphael Barrios, a bola ficou livre para Ricardo Oliveira. Porém, o experiente centroavante do Galo chutou a bola em cima do arqueiro rival. Minutos depois foi a vez de o volante Elias perder uma oportunidade incrível. Após uma rara troca de passes no ataque alvinegro, o camisa 7 chutou para fora, mesmo com o gol livre.

Botafogo-PB é o próximo rival, também como visitante

Após eliminar o Atlético-AC, o Atlético-MG já tem adversário definido para a segunda fase da Copa do Brasil. O Galo vai enfrentar o Botafogo-PB, mais uma vez atuando como visitante. De acordo com a CBF, a partida vai ser acontecer daqui duas semanas. Nesta quinta-feira a entidade deve confirmar a data, se no dia 20 ou 21 deste mês.

São R$ 2,2 milhões de premiação que podem ir para R$ 3,6 milhões

O simples fato de disputar a primeira fase da Copa do Brasil garantiu ao Atlético-MG a premiação de R$ 1 milhão. Ao eliminar o xará acreano e avançar uma etapa, o Galo vai receber mais R$ 1,2 milhão. Portanto, já são R$ 2,2 milhões garantidos em prêmios pela participação na Copa do Brasil. Valor que pode subir para R$ 3,6 milhões caso o Atlético supere o Botafogo-PB. Se avançar para a terceira fase, o clube mineiro vai pegar mais R$ 1,4 milhão.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-AC 1 X 1 ATLÉTICO-MG

Data: 07 de fevereiro de 2018, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Motivo: 1ª fase da Copa do Brasil
Local: Arena da Floresta, em Rio Branco (AC)
Árbitro: João Batista de Arruda (CBF/RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moises (CBF/RJ) e Luiz Antônio Muniz de Oliveira (CBF/RJ)
Cartões amarelos: Leandro Jucá, Matheus e Jeferson (AAC) Samuel Xavier, Elias e Otero (CAM)
Gols: João Marcus aos 6 e Erik aos 43 minutos do primeiro tempo.

ATLÉTICO-AC: Raphael Barrios; Matheus, João Marcus, Diego e Jeferson; Leandro Jucá (Vilson, aos 24 do 2º), Kássio e Ancelmo (Luiz Henrique, no intervalo); Araújo Jordão (Eduardo, aos 7 do 2º), Polaco e Rafael Barros. Técnico: Álvaro Miguéis.

ATLÉTICO-MG: Victor, Samuel Xavier, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Arouca (Adilson, aos 35 do 2º), Elias e Otero; Erik (Marco Túlio, aos 25 do 2º), Róger Guedes (Luan, aos 11 do 2º) e Ricardo Oliveira. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos