Odair elogia organização do Cianorte e vê Inter diferente com Roger

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Inter

    Odair Hellmann, técnico do Inter, elogiou o comprometimento tático do Cianorte

    Odair Hellmann, técnico do Inter, elogiou o comprometimento tático do Cianorte

Odair Hellmann elogiou bastante a organização do Cianorte, adversário do Inter às 19h15 (de Brasília) desta quinta-feira pela terceira fase da Copa do Brasil. Segundo o técnico colorado, sua equipe irá mudar um pouco com Roger na vaga de Leandro Damião.

"Eu nem quero usar a nomenclatura retranca. Me parece que é uma ideia de jogo, um conceito de jogo, não é uma retranca, é um conceito de jogo com linha média e baixa, bem próxima, balançando lateralmente e fechando o corretor, sendo agressivo no setor da bola. Numa transição apoiada, não é rebatida, para frente, me parece um time com bom entrosamento. O treinador tem um ano no cargo, é gaúcho, então é um time organizado defensivamente, tem um conceito dele, dá para ver bem claro o conceito do time dele. Evita o jogo central, libera os lados de campo e balança rápido. Tem que ter paciência, mas a paciência não pode ser confundida com lentidão. Tem que ser paciente, mas driblando, quebrando as linhas, não pode só girar a bola de um lado para o outro senão entra no jogo deles. São organizados no setor. Tem que girar a bola e romper a linha, com drible ou passe vertical, para quebrar essa organização defensiva deles. Eles não ficam só retrancados não, têm um conceito bem estabelecido, bem treinado", explicou.

Sem Leandro Damião, com uma contratura na cervical, Odair escolheu Roger para comandar o ataque. E prevê mudanças na movimentação de sua equipe com isso.

"O Roger vem em um processo de recuperação, fez quimioterapia (no ano passado, para tratamento de um tumor), um tratamento forte. Esta química ainda está no corpo dele. Ele vai evoluir muito no aspecto físico.Mas está dando 110%, 120%, e vai dar amanhã também. Ele muda o jogo ofensivo, a característica é diferente. O Roger tem um pivô entre linhas, o Damião te dá mais profundidade. O Roger volta mais entre as linhas. Dentro da área ambos são definidores. Muda a característica. Ele participa da área defensiva e vamos ajustar a pressão porque são jogadores diferentes", disse Odair citando que Roger não pressiona a defesa rival como Damião o faz.

Victor Cuesta voltou à zaga e o Internacional e o time para enfrentar o Cianorte ficou da seguinte forma: Marcelo Lomba; Dudu, Klaus, Cuesta e Iago; Dourado, Edenílson, Marcinho, D'Alessandro e Patrick; Roger.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos