Com 1º gol de Valdívia, São Paulo vence e abre vantagem contra o CRB

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

A vitória do São Paulo por 2 a 0 sobre o CRB, na noite desta quarta-feira (28), não representa só uma vantagem no jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil. Dorival Júnior também deve comemorar a mobilidade que proporcionou ao time com as entradas de Valdívia, Hudson e o novo posicionamento de Brenner no comando do ataque.

O garoto já havia treinado assim durante toda a pré-temporada tricolor, mas não tinha sido titular nessa posição - Diego Souza, que vinha atuando como centroavante, ficou no banco nesta noite. O São Paulo chegou ao gol com Valdívia e Militão. O jogo de volta acontece no dia 14 de março, no Rei Pelé.

Daniel Vorley/AGIF
Valdívia e Militão aproveitaram mobilidade do São Paulo para marcar contra o CRB

Por outro lado, Cueva perdeu um pênalti pela quinta vez com a camisa do Tricolor. O camisa 10 já havia desperdiçado uma cobrança diante do Ituano nesta temporada, quando Vagner espalmou. Nesta noite, contra o CRB, chutou para fora após criar a jogada que terminou em infração sobre Hudson.

Antes disso, foram dois erros em 2017, contra River Plate e Botafogo, e um em 2016, contra o Figueirense, quando conseguiu marcar no rebote. Por outro lado, o armador já fez dez gols de pênalti desde que chegou ao clube.

Pokogol!

Ale Cabral/AGIF

Em seu segundo jogo como titular - o quinto pelo São Paulo -, Valdívia mais uma vez foi um ponto de desafogo para o time. O meia-atacante não guardou posição e mostrou coragem para tentar lances individuais, uma carência da equipe neste ano.

Assim, levantou a torcida com cortes secos e até uma caneta (veja abaixo), antes de balançar as redes pela primeira vez com a camisa do clube do coração. O passe foi de Brenner e o chute, de primeira, morreu no canto direito do goleiro João Carlos, aos 34 minutos do primeiro tempo.

O meia quase marcou novamente aos 19 minutos do segundo tempo, quando Brenner fez o corta-luz para que o passe de Petros chegasse a Valdívia. Entretanto, o chute de primeira tirou tinta da trave.

A mobilidade de Militão

O lateral-direito foi um dos atletas mais ágeis durante a partida desta noite. Subiu bem para o ataque em mais de uma oportunidade, a ponto de ofuscar Marcos Guilherme mais à frente. O melhor exemplo disso veio aos 41 do primeiro tempo, quando Militão recebeu passe de Jean ainda no campo de defesa.

O polivalente jogador de 20 anos partiu para o ataque, tabelou com Cueva e se apresentou para receber a bola de volta na grande área. Livre entre os zagueiros, tocou na saída de João Carlos e ampliou.

Cueva perdeu pênalti cedo

O Tricolor teve uma chance de ouro aos seis do primeiro tempo, quando Hudson foi derrubado por Feijão dentro da área e Vuaden apitou pênalti. No entanto, enquanto andava para trás para se posicionar, Cueva acidentalmente pisou no pé de Willians Santana, que ficou nervoso e decidiu tirar satisfação (veja abaixo). Aparentemente abalado com a pressão do adversário, o peruano chutou para fora.

A estreia inesperada de Jean

Depois de divulgada a escalação do São Paulo, surgiu um imprevisto. Durante o aquecimento no Morumbi, o goleiro Sidão sentiu uma contratura no músculo adutor da coxa direita e não teve condições de disputar a partida. Jean fez sua estreia.

Seu primeiro teste surgiu aos 38 do primeiro tempo, quando Arboleda e Rodrigo Caio bateram cabeça em cruzamento do CRB e a bola acidentalmente desviou em Militão. No susto, Jean fez a defesa e evitou o gol.

Aos 5 da etapa final, quando o São Paulo teve falta na entrada da área, a torcida gritou seu nome e pediu para que fizesse a cobrança. O goleiro até chegou a andar até a intermediária e buscou autorização da comissão técnica, mas desistiu no meio do caminho e voltou para trás - a falta ficou com Cueva, que carimbou a trave.

Brenner ao ataque

Dorival Júnior enfim abriu mão de escalar Diego Souza no ataque. Desta vez, o veterano não ficou nem no meio-campo e foi direto para o banco. A missão de comandar o time no setor ofensivo ficou com Brenner. Aliado à velocidade de Valdívia e Marcos Guilherme pelas pontas, o jovem atacante tricolor deu mais mobilidade e leveza à equipe.

Ele quase fez um golaço aos 46 do primeiro tempo, ao driblar a marcação e chutar para a defesa de João Carlos. O goleiro deu rebote e o próprio Brenner se apresentou para o chute, mas Hudson, impedido, se antecipou na conclusão e invalidou o lance.

A regra mudou

Da terceira fase em diante, não importa o placar do jogo de ida: sempre haverá um confronto de volta. Portanto, mesmo com a vitória do São Paulo nesta quarta, as duas equipes ainda se encontrarão em Alagoas no dia 14 de março. Não há gol qualificado fora de casa – o empate no placar agregado leva aos pênaltis.

Recorde negativo

O São Paulo teve seu público abaixo de dez mil pessoas em quase um ano e meio. Foram 7.836 espectadores no empate contra o Coritiba no Brasileirão 2016, a pior marca desde outro jogo pela Copa do Brasil. Nas oitavas de final da edição de 2016, em agosto daquele ano, o Tricolor perdeu para o Juventude por 2 a 1 diante de 6.643 torcedores.

A temporada de 2017 foi a primeira da história do clube sem nenhum público abaixo de dez mil presentes. Outra curiosidade do público desta quarta-feira foi a renda. Os valores brutos passaram dos R$ 200 mil, mas a renda líquida, aquilo que realmente vai para os cofres do São Paulo, ficou só na casa dos R$ 20 mil. Ou seja, o jogo contra o CRB custou R$ 180 mil.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 0 CRB

Data e hora: 28 de fevereiro de 2018, às 19h30 (de Brasília)
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Lucio Beiersdorf Flor e Mauricio Coelho Silva Penna (ambos do RS)
Público: 8.514 pessoas
Renda: R$ 200.605,00 brutos, R$ 20.615,16 líquidos
Cartões amarelos: Willians Santana (CRB)
Gols: Valdívia, aos 34, e Militão, aos 41 minutos do primeiro tempo (São Paulo)

SÃO PAULO: Jean; Militão, Rodrigo Caio, Arboleda e Reinaldo; Hudson, Petros e Cueva (Paulinho); Marcos Guilherme (Nene), Valdívia e Brenner (Diego Souza)
Técnico: Dorival Júnior

CRB: João Carlos; Ayrton, Flávio Boaventura, Anderson Conceição e Diego; Feijão, Serginho, Willians (Juliano), Edson Ratinho e Willians Santana (Juninho Potiguar); Neto Baiano
Técnico: Mazola Júnior

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos