Sob pressão, Coritiba joga por orçamento e manutenção do depto. de futebol

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Comunicação CFC

    Augusto Oliveira, gerente de futebol do Coritiba: cargo em risco em caso de desclassificação

    Augusto Oliveira, gerente de futebol do Coritiba: cargo em risco em caso de desclassificação

Em desvantagem na série eliminatória contra o Goiás (0 a 1), o Coritiba recebe o adversário da terceira fase da Copa do Brasil sob pressão e com possibilidades de mudanças à vista, nesta quarta-feira (14) às 19h30. O duelo em verde e branco é considerado o mais importante do ano até aqui.

Isso porque o futuro do atual projeto do clube para a temporada 2018 passa por uma classificação. Não apenas pelo incremento de R$ 1,8 milhão que a vaga dará ao clube – nas palavras do atual gestor de futebol Augusto Oliveira, "uma classificação na Copa do Brasil pode facilitar (novas contratações)" – mas também pela continuidade do próprio Oliveira, muito cobrado pelo desempenho dos reforços trazidos pelo clube, e do técnico Sandro Forner.

O Coxa vem de quatro derrotas consecutivas, a primeira delas justamente para o Goiás. No período, foram dois jogos em casa e dois tropeços que causaram impacto. Usando uma equipe com reservas, mas formada principalmente por jogadores que chegaram como reforços, Sandro Forner voltou a estar pressionado, como já havia acontecido antes da arrancada na Taça Dionísio Filho que acabou com a conquista do primeiro turno no Paranaense.

"A cobrança só em cima do treinador, eu não acho justo. Lógico que ele tem sua parcela (de culpa), mas a cobrança também precisa estar nos jogadores. Todo mundo tem responsabilidade", disse o goleiro Wilson, um dos líderes do elenco. A defesa pública para Forner tem eco nos corredores do Couto Pereira. A diretoria manteve o técnico e o gerente nos cargos por convicção do presidente Samir Namur, que entende que, apesar dos tropeços, o clube segue um planejamento que visa a Série B nacional.

O Estadual não é considerado prioridade no clube, mesmo com a vaga garantida na decisão. Já a Copa do Brasil é a chance de manter o clube com repercussão nacional e, principalmente, ter um incremento no caixa. Contra o Goiás, o Coxa irá medir novamente seu potencial com seu concorrente mais direto no principal projeto do ano, a conquista do acesso na Série B. Depois do jogo, independentemente do resultado, está prevista uma entrevista coletiva com Namur, que irá se pronunciar sobre os rumos do clube, com pouco mais de três meses de gestão.

CORITIBA X GOIÁS

Data: 14 de março de 2018, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Motivo: 3ª fase da Copa do Brasil
Local: Couto Pereira, em Curitiba (PR)

Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (CBF-SP)
Auxiliares: Herman Brumel Vani e Alberto Poletto Masseira (CBF-SP)

CORITIBA: Wilson; Marcos Moser, Thalisson Kelven, Romércio e Léo Andrade; João Paulo, Julio Rusch, Thiago Lopes e Iago Dias; Guilherme Parede (Kléber) e Alecsandro. Técnico: Sandro Forner.

GOIÁS: Marcelo Rangel; Caíque Sá, Leandro Silva, Eduardo Brock, Raphael Silva e Breno; João Afonso, Rafinha e Tiago Luís; Maranhão, Júnior Viçosa (Lucão) e Felipe Garcia. Técnico: Hélio dos Anjos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos