Flu perde novamente para o Avaí e é eliminado da Copa do Brasil

Do UOL, em São Paulo

O Fluminense tentou, mas não conseguiu evitar uma nova derrota para o Avaí e a eliminação da Copa do Brasil. O Leão da Ilha marcou com Lourenço no segundo tempo, venceu por 1 a 0 na noite desta quinta-feira (15), na Ressacada, e avançou para a quarta fase do torneio.

O time catarinense havia vencido de virada o primeiro jogo por 2 a 1, no Maracanã, no dia 1º de março. Consequentemente, dependia de um empate simples em Florianópolis para se manter vivo na competição - ou seja, o Avaí já estava se classificando antes do gol de Lourenço.

Ao avançar para a quarta fase da Copa do Brasil, o Avaí não só se mantém vivo na briga pelo título do torneio como ainda lucra R$ 1,8 milhão com a vaga. É importante lembrar que os confrontos da próxima etapa serão definidos por sorteio.

O Fluminense volta a campo neste domingo, às 16h (de Brasília) contra a Cabofriense, em partida válida pela última rodada da primeira fase da Taça Rio. No mesmo dia, às 19h, o Avaí visita o Concórdia pelo Campeonato Catarinense.

Tirou o zero do placar

Cinco minutos. Foi esse o tempo que Lourenço teve entre entrar em campo, no lugar de André Moritz, e dar a vitória ao Avaí com um gol de cabeça, aos 32 do segundo tempo.

Quase, Luanzinho!

O jogador tem apenas 17 anos de idade, mas quase fez um golaço com potencial para enlouquecer a Ressacada. Aos 27 do primeiro tempo, o atacante do Avaí pegou um rebote de Romulo e acertou um bonito voleio da entrada da área, mas Júlio César fez a defesa.

No segundo tempo, Luanzinho foi substituído por Maurinho, que tinha a missão de dar mais mobilidade ao Avaí pelos lados do ataque. Aos nove minutos, Moritz chutou de fora da área e viu a bola desviar em Gum, quase enganando Júlio César. O goleiro defendeu e cedeu rebote, mas Maurinho já estava impedido.

Flu ao ataque

Diante da necessidade de vencer na Ressacada, o Flu acuou o Avaí. Boa parte da potência ofensiva do time de Abel Braga veio de Ayrton Lucas, que deu boas arrancadas e chegou a servir Pedro aos 34 do primeiro tempo – uma pena que o atacante acertou o travessão.

Aos nove minutos do primeiro tempo, para citar outro exemplo, Ayrton Lucas foi tão voluntarioso que arrancou e deixou a marcação para trás, mas acabou desarmado por Alemão no momento certo.

Menos de 10 minutos depois, Ayrton Lucas cobrou escanteio e colocou a bola com precisão na cabeça de Ibañez, que saltou mais alto que a marcação e tocou de cabeça. Por pouco o Fluminense não marcou.

Ainda houve um gol bem anulado do Fluminense. Em um dos últimos lances do primeiro tempo, aos 41, Marcos Junior recebeu em posição irregular e cruzou para Pedro, que colocou a bola na rede. No entanto, a arbitragem acertou ao marcar impedimento no início da jogada.

10 em campo para cada lado

Getúlio não precisava ter cometido as infrações que culminariam na sua expulsão, mas ele as cometeu mesmo assim. No primeiro tempo, o atacante fez falta na intermediária e recebeu amarelo. No segundo tempo, aos 17, deu um chutão na bola após marcação de impedimento e incomodou o árbitro Vinicius Gonçalves Dias, que mostrou o segundo amarelo e o vermelho.

Meros 12 minutos depois, no entanto, Dudu - que havia acabado de entrar para substituir Richard - fez falta dura sobre o volante Luan e recebeu o vermelho direto, sem chance para argumentação.

A vantagem era catarinense

O Avaí venceu por 2 a 1 o primeiro jogo entre as duas equipes, disputado no dia 1º de março, no Maracanã. Na ocasião, o Flu abriu o placar com Ibañez, mas o time catarinense conseguiu a virada com Romulo e André Moritz.

No entanto, é importante destacar que os dois gols do Avaí no Rio de Janeiro não tiveram peso extra, já que esta edição da Copa do Brasil não tem mais o gol fora de casa como critério de desempate. Ou seja, o Fluminense precisava vencer por um gol de diferença, por qualquer placar, para levar a decisão para os pênaltis. Não conseguiu.

Longevidade

Montagem/UOL Esporte

Na gangorra que marca a vida dos técnicos no Brasil, Claudinei Oliveira e Abel Braga são dois raros casos de estabilidade. A dupla que desafia a lógica brasileira tem companhia de um grupo seleto de treinadores que assumiram o cargo em 2016 e seguem firmes no comando.

Se considerados os clubes das Séries A e B, apenas Enderson Moreira (América-MG), Mano Menezes (Cruzeiro), Renato Gaúcho (Grêmio) e Paulo Roberto Santos (São Bento) têm esse status. E o comandante da equipe do interior paulista é quem vai mais além: à frente do São Bento desde 19 de outubro de 2015, Paulo Roberto é o campeão absoluto da longevidade.

O retorno de Scarpa?

MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

Horas antes de ser eliminado da Copa do Brasil, o Fluminense foi vitorioso na Justiça e conseguiu reverter a decisão que permitiu que Gustavo Scarpa se transferisse para o Palmeiras.

Em decisão do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ), os advogados tricolores derrubaram a liminar que o desvinculava do clube das Laranjeiras, de modo que o contrato anterior pode ser reestabelecido. Scarpa, no entanto, treinou normalmente entre os reservas do Palmeiras nesta quinta-feira.

FICHA TÉCNICA
AVAÍ 1 X 0 FLUMINENSE

Data e hora: 15 de março de 2018, às 21h30 (de Brasília)
Local: Ressacada, em Florianópolis (SC)
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araujo (SP)
Auxiliares: Anderson José de Moraes Coelho e Bruno Salgado Rizo (ambos de SP)
Cartões amarelos: Judson, João Paulo (Avaí); Ibañez, Sornoza (Fluminense)
Cartões vermelhos: Getúlio (Avaí); Dudu (Fluminense)
Gol: Lourenço, aos 32 do segundo tempo (Avaí)

AVAÍ: Aranha; Guga, Fagner Alemão, Betão e João Paulo; Judson, Luan (Menezes) e André Moritz (Lourenço); Romulo, Luanzinho (Maurinho) e Getúlio
Técnico: Claudinei Oliveira

FLUMINENSE: Júlio César; Reginaldo, Gum, Ibañez (Matheus Alessandro) e Gilberto; Richard (Dudu), Jadson, Ayrton Lucas e Sornoza; Marcos Junior (Robinho) e Pedro
Técnico: Abel Braga

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos