Topo

Futebol


Com treinos fechados e vídeos, Atlético-MG deixa de ser "patinho feio"

Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro
Crescimento de rendimento do Atlético está ligado aos vídeos mostrados por Thiago Larghi aos jogadores Imagem: Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

2018-04-03T04:00:00

03/04/2018 04h00

“Devagarzinho, o patinho feio vai chegando”, disse o presidente do Atlético-MG, Sérgio Sette Câmara, após a classificação para a final do Campeonato Mineiro. Mas só foi possível chegar neste ponto graças ao que foi desenvolvido na Cidade do Galo, entre comissão técnica e jogadores. Trabalho feito com muitos vídeos e muitos treinos fechados, sem a presença dos jornalistas.

A resposta de Sette Câmara foi em função às críticas feitas pela imprensa e também às diversas cobranças da torcida, que não se mostrava nada satisfeita com o começo irregular de temporada da equipe. Com a meta de readequar o clube financeiramente, após anos de gastanças com grandes jogadores, Sette Câmara e seus diretores iniciaram uma nova política dentro do Atlético. A primeira janela de transferência já foi um grande exemplo. Sete reforços e nenhum custo aos cofres dos clubes.

Porém, como os resultados estavam abaixo do esperado, o técnico Oswaldo de Oliveira durou pouco mais de um mês no cargo e foi substituído por Thiago Larghi, auxiliar técnico que chegou à Cidade do Galo com o treinador, mas que seguiria no clube como um membro fixo da comissão. Quase dois meses depois, o que era um "patinho feio", na descrição do presidente, não está mais tão feio assim.

O Atlético chega no mês de estreia do Campeonato Brasileiro passando pelo seu melhor momento em 2018. Triunfo por 3 a 1 sobre o Cruzeiro, no primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro, levando para o duelo da volta uma grande vantagem: o direito de poder perder por até um gol de diferença para assegurar o título.

Nesta quarta-feira, para seguir em boa fase, o Galo recebe o Ferroviário, do Ceará, pela quarta fase da Copa do Brasil. Mas antes de entrar em campo, nesta terça, os jogadores já sabem como vai ser na Cidade do Galo. Antes de seguirem para o campo, Thiago Larghi vai exibir vídeos sobre o adversário, no auditório do hotel dos profissionais. Em seguida, mais uma vez sem a imprensa, é treinar para colocar em prática o que foi mostrado pelo treinador.

Antes do clássico com o Cruzeiro, por exemplo, Larghi teve uma semana rara, sem nenhuma partida. Foram quatro dias dedicados para treinar, mostrar alguns vídeos para os atletas e sem nenhum jornalista na Cidade do Galo. Para os atleticanos, isso fez bastante diferença no triunfo por 3 a 1 sobre o maior rival.

“Foi fundamental ter o treino fechado, para a gente poder trabalhar algumas situações. Algumas coisas que criamos no jogo foram treinadas durante a semana. O Thiago gosta muito de vídeos, para mostrar o que erramos e também como podemos acertar. Dentro de campo a equipe vem crescendo, os resultados estão aparecendo”, disse o meia-atacante Luan.

Bola parada foi bastante treinada antes do clássico

Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro
Thiago Larghi pega exemplos de clubes europeus e mostra para seus jogadores Imagem: Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

O Cruzeiro sofreu bastante na Argentina, diante do Racing, na estreia da Copa Libertadores. Na derrota por 4 a 2, o time celeste sofreu bastante com a bola parada. Tendo um jogador como Otero no elenco, que tem muita qualidade no chute, Thiago Larghi explorou bastante essa deficiência do rival.

Com tempo para treinar e com uma amostra importante do comportamento do Cruzeiro em uma grande partida, Larghi e os jogadores do Galo ensaiaram algumas jogadas de bola parada. E o deu muito certo. Todos os três gols atleticanos no clássico se originaram de escanteios ou cobrança de falta.

“Então, a gente treinou muito bem a bola parada. E os treinamentos foram fechados justamente para isso, para treinar muita bola parada. Deu certo o trabalho da semana. Como o treinador fala, o jogo não se ganha apenas no domingo, mas é durante a semana, trabalhando bem”, revelou o meia Otero, um dos destaques do Atlético no triunfo sobre o Cruzeiro, com assistências para os três gols do Galo no clássico. 

Vídeos também do Barcelona, do Bayern...

O gosto de Thiago Larghi por vídeos vai além de mostrar adversários e o próprio Atlético. O treinador do Galo fez estágio no futebol europeu, com Pep Guardiola, por exemplo, e por isso o futebol praticado por lá é a referência para Larghi na montagem do Galo. Vídeos do que estão fazendo os melhores times do mundo e até mesmo da seleção brasileira são mostrados aos jogadores.

E, quando possível, já que o calendário é bastante apertado, o que é vista no auditório é colocado em prática nos campos da Cidade do Galo. Sempre sem a imprensa, já que os treinos em véspera dos jogos são fechados, Thiago Larghi prepara um Atlético que opte pelo toque de bola ao invés do chutão e que seja capaz de fazer uma marcação no campo do adversário.

“São bem pontuais os vídeos. O Thiago procura passar até mesmo desses jogos de fora, de outras grandes equipes, para a gente entender o que ele quer. Ele mostra grandes jogadores fazendo funções difíceis, voltando na marcação e cumprindo função, para a gente entender que todo mundo aqui tem que cumprir bem a sua função para que o jogo flua naturalmente e não haja nenhuma sobrecarga. A gente já tem melhorado muito isso. Se cada um cumprir muito bem a sua função, as coisas vão andar com um pouco mais de facilidade”, analisou o volante Adilson.

Mais Futebol