Odair vê importância do torcedor e diz que Inter mereceu a vitória

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

O Inter sofreu. Depois de sair na frente, viu o Vitória igualar e só venceu o duelo desta quarta-feira (11) graças a uma falha do goleiro rival aos 43 do segundo tempo. Venceu, e depois do jogo o técnico Odair Hellmann reconheceu a importância da torcida no momento complicado e disse que a equipe mereceu o placar.

"Eu acho que no primeiro tempo, fazíamos um jogo seguro e controlado até o gol. Tentando trocar a bola de um lado para o outro para furar as linhas do Vitória. Eles jogaram o Brasileiro do ano passado assim, foram melhor fora do que dentro de casa, um jogo reativo. Tínhamos que ter paciência, não poderia ser lento para facilitar a defesa baixa. Até fomos, mas quando aceleramos o jogo criamos mais desconforto ao Vitória. Tem que ter paciência, vitória pessoal. Até tomar o gol estávamos com o controle do jogo", disse Odair.

Mas com o gol sofrido no fim da etapa inicial, o time se desestabilizou e passou por sufoco até marcar o segundo, graças a uma falha do goleiro Caíque.

"No início do segundo tempo não voltamos bem. Até os 12 ou 15 do segundo tempo tivemos dificuldades. Mas nossa dificuldade não fez com que o Vitória tivesse força ofensiva. Eles estabeleceram uma forma de jogar, o contra-ataque, demos pouco e fomos bem nessa situação, neste conceito. Faltou. Criamos a partir dos 15, crescemos de novo, e tomamos conta do jogo. Mas o Vitória cada vez com linhas mais baixas. Em algum momento cruzamos um pouco demais. Gera uma intranquilidade não fazer o gol. Na insistência criamos a chance do Pottker, depois acabou este tipo de lance porque o Vitória recuou ainda mais. Insistimos, criamos, propusemos o jogo e conseguimos. Merecemos a vitória. Veio numa infelicidade do goleiro, mas é muito importante e nos dá uma pequena vantagem para a Bahia", explicou.

A torcida do Inter reconheceu o momento do time. No princípio do jogo, não vaiou ou pressionou a equipe. O quadro mudou no intervalo, quando algumas vaias vieram. No segundo tempo, apenas Roger recebeu cobrança mais forte quando substituído e os aficionados resolveram 'abraçar' a equipe e empurrar para vitória.

"O torcedor foi muito importante quando não estávamos bem. Se levantou, começou a incentivar. Mesmo que no momento difícil para eles também, queriam o time vencendo. Mas foi muito bom, apoiaram até o final. Naquele momento, eles vieram fortes, firmes, levantamos e conseguimos buscar a vitória", elogiou. "É natural que pelos anos anteriores a torcida desconfie. Por isso eu ressalto o momento do torcedor. A primeira coisa que eu digo é que o torcedor do Inter é soberano em suas decisões no campo de jogo. Tem o direito de vaiar, de cobrar, de empurrar, fazer o que quiser. Eu só gostaria que acontecesse sempre como foi hoje", acrescentou.

O Inter joga pelo empate na próxima quinta-feira no jogo de volta da quarta fase da Copa do Brasil. Antes, domingo, estreia no Brasileiro contra o Bahia, em casa.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos