Aguirre admite "fracasso" no SP: "Não dá para perder e falar coisas boas"

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo (SP)

O São Paulo, assim como já havia acontecido na semifinal do Campeonato Paulista, foi eliminado da Copa do Brasil sem jogar mal. Contra o Atlético-PR, o time teve bom desempenho, postura aguerrida, mas não conquistou o resultado suficiente para avançar às oitavas de final - a partida terminou empatada por 2 a 2. Por isso, o técnico Diego Aguirre se recusou a fazer qualquer elogio ou comentário positivo em sua entrevista coletiva no Morumbi.

"Eu não posso falar de coisas boas, porque queria ter passado. Falaria das coisas boas se tivéssemos passado. Temos que assumir que foi um fracasso. E temos que nos preparar para o que vem pela frente. Somos um time grande e temos responsabilidades, no Campeonato Brasileiro e na Copa Sul-Americana. São objetivos importantes. Não gosto de perder e não quero falar de coisas positivas", avisou o treinador.

Aguirre apenas destacou o trabalho prévio dos atletas para esta partida. O técnico viu o elenco se dedicar ao longo da semana no CT da Barra Funda e mostrar concentração para abrir 2 a 0. O pênalti cometido por Liziero ainda no primeiro tempo, entretanto, fez a equipe se desestabilizar emocionalmente.

"No primeiro tempo, controlamos bem, fizemos dois gols, perdemos outros mais e o pênalti trouxe um fator psicológico. Sentimos um pouco. Muita coisa gera isso. Tentamos manter uma regularidade, mas não foi possível. É uma eliminação que dói muito. Eles trabalharam bastante para este jogo, saímos ganhando, então fica mais difícil ainda suportar", lamentou o uruguaio.

O comandante são-paulino também se recusou a analisar individualmente qualquer jogador, por considerar "injusto em uma derrota". A ordem agora é pensar no Brasileirão. Às 16h de domingo, o time visita o Ceará no Castelão pela segunda rodada para tentar manter 100% de aproveitamento. Everton, recém-contratado do Flamengo, pode ser usado. Petros, que mais uma vez esteve mal, pode sair do time. Há a possibilidade ainda de mudança no ataque, diante do mau desempenho de Tréllez.

"Temos que buscar as soluções com os jogadores que temos. A única coisa que posso falar é que gostaria de ter feito mais gols hoje (quinta). Mas temos que estar juntos neste momento, olhando para frente e responsabilizando todos pela derrota. Temos que manter a calma, trabalhar e ver o rendimento de cada um no dia a dia e quando tem a oportunidade de jogar. São algumas opções possíveis para mudar. Ele (Everton) certamente estará conosco", avisou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos