Planejamento falha e Atlético-MG fica apenas no BR, mas elenco será mantido

Victor Martins

Do UOL, em Chapecó

Em várias oportunidades a diretoria do Atlético-MG ressaltou a importância de ter um elenco grande, já que a temporada 2018 está bastante apertada por causa da Copa do Mundo, com jogos praticamente a cada três dias. Para o Galo, isso não é mais uma dificuldade neste ano, já que o time está fora da Copa Sul-Americana e da Copa do Brasil, restando somente o Campeonato Brasileiro até dezembro.

A queda para a Chapecoense após empate sem gols e derrota por 4 a 3 na disputa de pênaltis consolidou a falha do planejamento atleticano. Ir longe na Copa do Brasil, que vai pagar mais de R$ 60 milhões, era uma das prioridades traçadas no começo de temporada. Agora, até dezembro, o Galo só vai entrar em campo mais 33 vezes, todas pelo Brasileirão.

No entanto, isso não vai mudar a postura da diretoria no que diz respeito ao número de jogadores no elenco. De acordo com apuração do UOL Esporte, o clube vai seguir o que estava planejado, de manter sempre mais de 30 jogadores à disposição do técnico Thiago Larghi, mesmo com apenas uma competição por disputar em 2018.

Mudanças somente na busca por reforços e na reposição de possíveis saídas. Com a abertura da janela de transferência para a Europa o Atlético pretende negociar pelo menos dois jogadores. O meia Otero é um dos cotados para deixar o clube nas próximas semanas, já que o venezuelano despertou o interesse de algumas equipes estrangeiras.

Fora das duas copas, o Atlético terá maior pressão no Campeonato Brasileiro. Após o presidente do clube, Sérgio Sette Câmara, declarar que a Copa Sul-Americana é como uma segunda divisão da Copa Libertadores, a torcida alvinegra não espera menos do que um lugar entre os seis primeiros colocados, para que o clube retorne ao principal torneio de clubes do continente.

Inclusive, o dirigente chegou a dizer que certamente o Galo estará entre os três colocados do Brasileirão na 12ª rodada, quando a competição para durante a Copa do Mundo. Mesmo com a enorme cobrança da torcida e as falas do presidente, o técnico Thiago Larghi não descarta uma obrigação do time no Brasileiro.

"Obrigação é uma palavra muito forte, não se pode falar nela. Mas a gente tem que trabalhar muito duro para fazermos o melhor campeonato possível. Todo mundo aqui está se empenhando, é um trabalho bem sério, vamos lutar para fazer o melhor Campeonato Brasileiro possível com vaga na Libertadores ou quem sabe o título".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos