Copa NE: Santa aposta em torcida para compensar folha inferior a dos rivais

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

  • Divulgação/Santa Cruz

    Anderson Salles comemora gol que classificou o Santa às semifinais da Copa do Nordeste

    Anderson Salles comemora gol que classificou o Santa às semifinais da Copa do Nordeste

Ao menos fora das quatro linhas, o Santa Cruz chega às semifinais da Copa do Nordeste em desvantagem em relação aos demais rivais. Com aproximadamente R$ 500 mil mensais, o clube coral apresenta um folha salarial cerca de oito vezes menor que Bahia, Vitória e Sport, times que hoje fazem parte da Série A e, assim, detêm maior capacidade de investimento.

Ciente da disparidade financeira que existe entre as equipes semifinalistas, o Santa Cruz faz um apelo à torcida para que, com o apoio dela nas arquibancadas, essa diferença seja compensada dentro de campo. Em entrevista ao UOL Esporte, o vice-presidente do clube, Constantino Júnior, convoca a nação coral e fala sobre a atual situação financeira do Santa.

"De oito a dez vezes maior [folha salarial dos outros clubes semifinalistas]. O Sport tem R$ 4 milhões, o Vitória mais de 4, o Bahia próximo de 4, fora o nível de investimento que eles fazem. O Sport gastou R$ 5,5 milhões para trazer o André. Essa é a diferença. Tem que ir na vontade, na disposição, na camisa, e chegou a hora da torcida chegar junto, tem que fazer essa diferença na vontade, na disposição, no grito", disse o "Tininho".

Até o momento, a média de público do Santa Cruz na Copa do Nordeste, assim como a folha salarial, é bem inferior aos demais times classificados para as semifinais. A torcida coral ocupa apenas a 10ª melhor média dentre os 20 clubes da Copa, com 5.002 pessoas por jogo. O Sport lidera com 8.329, contra 7523 do Vitória (2º) e 6.481 do Bahia (7º).

"É uma diferença monstruosa de patamar salarial. Temos que fazer mais com menos. Agora tem que ser com a torcida, a gente precisa que ela faça essa diferença. Tem que jogar junto com ela para poder amenizar essa diferença, essa discrepância", acrescentou o dirigente.

O vice do Santa falou ainda sobre a enorme queda que o clube sofreu na parte financeira por conta do rebaixamento para a Série B, no ano passado. "Caiu demais, vertiginosamente. Foi uma queda grande, tanto é que vários jogadores nossos [de 2016] estão jogando a Libertadores, como Grafite, Ló Moura, João Paulo, Keno...", completou Constantino Júnior.

Programadas apenas para daqui a quase três semanas, as semifinais da Copa do Nordeste colocam frente a frente apenas arquirrivais: de um lado, o Bahia encara o Vitória; do outro, o Sport pega o Santa Cruz. Vale lembrar que Bahia e Santa Cruz têm a vantagem de jogar a segunda partida dentro de casa – na Fonte Nova e no Arruda, respectivamente.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos