Em alta no Bahia, Allione admite: não soube aproveitar chances no Palmeiras

Do UOL, em Santos (SP)

  • Felipe Oliveira / EC Bahia

    Allione vem sendo um dos destaques do Bahia nesta temporada

    Allione vem sendo um dos destaques do Bahia nesta temporada

Allione vive hoje sua melhor fase desde que desembarcou no Brasil, mais especificamente em São Paulo, em julho de 2014, para defender o Palmeiras. Foram mais de dois anos no clube alviverde, alternando bons e maus momentos, até a transferência para o Bahia no início desta temporada. Em Salvador, virou titular absoluto e está prestes a disputar a segunda final com a camisa tricolor em cinco meses: a primeira contra o Vitória, pelo Campeonato Baiano, e agora pela Copa do Nordeste, contra o Sport.

Em entrevista à ESPN concedida na manhã desta segunda-feira (22), o próprio argentino de apenas 22 anos admite viver o seu melhor momento no Brasil e conta o porquê de não ter conseguido brilhar tanto com a camisa alviverde.

"Acho que sim [melhor momento]. Desde que cheguei no Brasil são meus melhores números. Quero sempre ajudar meus companheiros", disse o meia, para depois falar sobre o Palmeiras: "Acho que [faltou] um pouco amadurecimento meu. No Palmeiras eu tive chances e não soube aproveitar da melhor forma. Acho que hoje estou mais experiente e está na hora de eu mostrar futebol. Estou mais concentrado e focado no meu trabalho. Acho que no Palmeiras faltou isso. Eu também tive azar de, quando tive oportunidades, me machucar duas vezes".

Com três gols e seis assistências em 18 jogos com a camisa tricolor, Allione falou ainda sobre as diferenças das capitais paulista e baiana. "Aqui é mais tranquilo do que em São Paulo. O trânsito é até parecido, porque moro um pouco longe. Mas a vida aqui é tranquila, o povo baiano é realmente mais relaxado. Aqui é bem legal também. Coisas diferentes para fazer. Mas eu e minha namorada conseguimos nos adaptar bem", acrescentou o meia argentino.

Ainda de acordo com Allione, a pressão que existe atuando pelo Bahia não difere muito da que viveu em São Paulo, jogando com a camisa do Palmeiras. Porém, tem a consciência de que a boa fase do time ajuda a deixar as coisas mais calmas.

"É um time muito grande e a cobrança também existe. Só que aqui a gente vem fazendo uma boa temporada. Não tivemos uma fase ruim, como já tive no Palmeiras, com muita cobrança. Mas a cobrança também é muita, porque temos a necessidade de colocar o Bahia no lugar dele. É uma cobrança parecida, porque são dois times grandes, mas ainda não deu para sentir tanta", declarou.

Decisão da Copa do Nordeste

Allione é presença certa entre os titulares do Bahia para o segundo jogo da decisão da Copa do Nordeste, contra o Sport, quarta-feira (24), na Fonte Nova. Com o empate por 1 a 1 na Ilha do Retiro, o time baiano pode até empatar sem gols em casa para ficar com a taça que o clube não conquista desde 2002.

"É muito importante. Acho que faz uns 14, 15 anos que o Bahia não conquista. Então para a gente e para a torcida é muito importante. Desde o começo do ano tínhamos essa meta de conquistar a Lampions. Espero que agora a gente consiga conquistar", completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos