Árbitro registra na súmula soco de presidente do Água Santa em bandeirinha

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução / SporTV

O duelo entre Juventude e Água Santa, disputado na última sexta-feira (13), em Diadema, e válido pela terceira fase da Copinha, terminou em disputa de pênaltis com 24 cobranças. Mas, acredite: esse não é o fato que mais chamou a atenção na partida. O árbitro Camilo Moraes Zarpelão registrou na súmula, após o duelo, agressão do presidente do Água Santa contra o bandeirinha Luis Felipe Prado Silva. De acordo com o relato, o golpe abriu corte no rosto do assistente, que chegou a sangrar. 

"O portão próximo ao assistente nº 1 foi aberto por um funcionário não identificado para que o presidente do E. C. Água Santa, sr. Paulo Siqueira Korek de Farias, invadisse o campo de jogo, e agrediu com um soco no lado esquerdo do rosto do assistente de nº 1 que estava cercado por jogadores do E. C. Água Santa. O referido soco causou um corte no rosto havendo sangramento", diz o texto da súmula, disponível no site da Federação Paulista de Futebol. 

A confusão ocorreu no segundo tempo, logo depois de o juiz anular gol de empate em 2 a 2 do Água Santa. O árbitro mudou de decisão e validou o tento, que levou a partida aos pênaltis. Nas cobranças, o Juventude venceu por 10 a 9 e avançou às oitavas de final do torneio sub-20. O Água Santa foi eliminado. 

Na próxima fase, o Juventude enfrentará o Bragantino, em jogo agendado para a segunda-feira (16), às 16h, também em Diadema.

Confira o texto da súmula na íntegra

Aos 88 minutos da partida, após o jogador de número 13 Sr. Henrique Preisseler de Jesus ter cabeceado a bola e feito o gol, o assistente número 1 sinalizou o impedimento de um jogador do E.C Água Santa que estava em posição de impedimento e teria tocado na bola antes dela entrar na meta. Marquei o impedimento e imediatamente os jogadores, os suplentes e substituídos que estavam no banco de reserva, e a comissão técnica partiram em direção ao arbitro assistente número 1 causando tumulto generalizado, onde nesse momento o portão
próximo ao assistente de número 1 foi aberto por um funcionário não identificado, para que o presidente do E. C. Água Santa o Sr. Paulo Siqueira Korek de Farias invadisse o campo de jogo, e agrediu com um soco no lado esquerdo do rosto do assistente de número 1 que estava cercado pelos jogadores do E.C Água Santa. O referido soco causou um corte no rosto havendo sangramento.

O presidente do E. C. Água Santa o Sr. Paulo Siqueira Korek de Farias, foi contido e retirado do tumulto pelo quarto árbitro. Durante o tumulto generalizado o jogador de número 9, sr. Lucas Cesar Gadelha da equipe do E.C Água Santa, colocou o seu braço no pescoço e empurrou o Assistente de número 1 até o alambrado de vidro.
Informo também que no tumulto generalizado o jogador de número 2 sr. Genilson Marcelo Pereira Santos, desferiu e atingiu com 02 (Dois) chutes o assistente número de 1.

Os jogadores citados foram expulsos aos 93 minutos, após o final do tumulto. A partida foi reiniciada somente após garantida a segurança,pelo Comandante do Policiamento. Informo ainda que o médico da sede Diadema prestou o atendimento médico ao assistente de número 1. O Assistente número 1 após ser atendido, relatou que tinha condições de trabalhar até o final da partida. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos