Em jogo adiado, São Paulo vence Inter nos pênaltis e vai à final da Copinha

Do UOL, em São Paulo

  • Alex Silva/Estadão Conteúdo

    Toró carrega a bola para o São Paulo contra o Inter

    Toró carrega a bola para o São Paulo contra o Inter

O jogo sem fim da Copa São Paulo teve nesta terça (23) um cenário bem diferente do que se viu na noite de segunda na Arena Barueri para a semifinal entre os paulistas e o Internacional. Sob forte sol, o jogo interrompido pela tempestade na noite anterior acabou empatado em 1 a 1 e decidido da forma mais incerta: nas penalidades. A equipe do Morumbi carimbou finalmente o passaporte para a final vencendo por 6 a 5. 

Nas cobranças, o São Paulo chegou a ficar na frente, mas os tiros alternados determinaram a equipe na grande decisão. Rodrigo, Igor Gomes, Oliveira, Tuta, Walce e Toró converteram para o São Paulo; Igor Liziero parou no goleiro Carlos Miguel. 

A segunda parte disputada nesta terça marcada pelas duas equipes buscarem o gol a todo o tempo. As melhores oportunidades, no entanto, foram em bola parada, principalmente do São Paulo.

Nos primeiros minutos a equipe chegou com perigo em cobrança de escanteio, falta pela direita, falta pela esquerda, mas nada do gol sair. Com as melhores chances na bola parada, restou justamente as cobranças de pênalti para decidir quem enfrentaria o Flamengo na final da competição dia 25 de janeiro.

Para relembrar a partida antes da paralisação

Baseado no início de partida fulminante, parecia que o São Paulo garantiria facilmente a vaga na final da Copinha. Os comandados por André Jardine abriram o placar com 33 segundos de bola rolando, em belo chute de fora da área de Luan, que recebeu passe de peito de Helinho e bateu forte para vencer o goleiro Carlos Miguel, de 2,02 metros de altura, o atleta mais alto desta edição da Copinha.

Com total domínio do jogo, o São Paulo desperdiçou oportunidades e poderia ter ampliado aos 28 minutos, em cobrança de pênalti de Liziero defendida por Carlos Miguel. Antes, o Inter quase empatou com Richard, que se esticou para alcançar o cruzamento rasteiro, mas errou na hora de finalizar para o gol vazio.

Reprodução/SporTV
A Arena Barueri alagada por causa da tempestade
A tempestade na Arena Barueri

No fim do primeiro tempo, a chuva chegou à Grande São Paulo e ganhou força gradativamente. Na volta do intervalo, o gramado da Arena Barueri estava dominado pelas poças d'água, e mesmo assim a decisão foi dar andamento à semifinal.

Com o meio de campo impraticável para o futebol, as duas equipes passaram a dar chutões. Em um deles, aos quatro minutos, Toró ganhou a dividida com o goleiro Carlos Miguel e chutou com o gol aberto, mas o zagueiro Bruno Fuchs evitou que o Tricolor ampliasse.

Com 10 minutos no cronômetro, o Colorado teve um pênalti marcado a seu favor, após Diego derrubar Luiz Felipe na grande área. Mas, na hora de cobrar, o temporal ficou mais forte e parte da iluminação da Arena Barueri apagou. Além da chuva forte, o entorno do estádio passou a ser alvo de raios, deixando a situação perigosa para a integridade de jogadores e torcedores.

Após dez minutos de paralisação, o árbitro Thiago Scaracati ignorou os riscos do mau tempo e, com a iluminação restabelecida, deu sequência à partida. Richard, então, cobrou a penalidade com força, no meio do gol, empatando para o Inter. Depois de seguidas reclamações até dos jornalistas à beira do gramado, o jogo voltou a ser interrompido, aos 18 para retomar nesta terça (23).

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos