Topo

Futebol


São Paulo debocha de abandono do Tigre e coloca adversário como "pipoqueiro"

Leonardo Soares/UOL
PMs entraram em ação para separar briga entre jogadores de São Paulo e Tigre Imagem: Leonardo Soares/UOL

João Henrique Marques e Renan Prates

Do UOL, em São Paulo

2012-12-13T06:05:46

13/12/2012 06h05

O São Paulo faz pouco caso da postura do Tigre em abandonar a final da Copa Sul-Americana. Dirigentes do clube campeão do torneio debocham da atitude, enquanto jogadores e o treinador Ney Franco cutucaram o adversário. As queixas dos argentinos foram constantemente desdenhadas no Morumbi.

MAIS NOTÍCIAS SOBRE A CONFUSÃO

  • EFE

    Briga que resultou no abandono do Tigre em final no Morumbi começou semana passada

  • Despedida de Lucas pelo São Paulo é marcada por gol, sangue e título

    Despedida de Lucas pelo São Paulo é marcada por gol, sangue e o sonhado título

  • Renan Prates/UOL

    Delegada de confusão no Morumbi diz que argentinos não explicam motivo da agressão

“Vamos falar o que é a verdade. Não teve briga, arma, nada. O Tigre não veio para o gramado no segundo tempo, pois ‘pipocou’. O time deles foi ‘pipoqueiro’, e o resto é história”, provocou o treinador do São Paulo, Ney Franco

“Nossa equipe jogou muito bem, mostramos raça e amor pela camisa do São Paulo e conseguimos título. Isso é o que precisa ser enaltecido. Já o time deles ‘pipocou’. Foi isso”, comentou Jadson.

O abandono do Tigre no duelo final foi lamentado pelo São Paulo. Os cartolas colocam o time argentino como vítima de uma própria armação.

“Eles não iam aguentar e preferiram fazer catimba, isso ficou claro. Acharam que era melhor ir embora. Assim não podemos fazer nada”, debochou o presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio.

"Foram 67 mil torcedores. O Tigre estava com a língua de fora. Eles iriam tomar uma goleada e fizeram um papel feio. A fuga dos argentinos é a nossa vitória maiúscula", concluiu Juvenal ao site oficial do São Paulo. 

O mandatário tricolor não foi o único da direção a tripudiar dos argentinos. “Esse choro deles é antigo, não adianta ter pena. Ganhamos na bola, e isso ninguém vai apagar. Não adianta vir com história dramática” cutucou o o vice de futebol do São Paulo, João Paulo de Jesus Lopes, também colocando mais lenha na fogueira da confusão.

Mais Futebol