Sheik marca após 6 meses, Fla vence e quebra jejum na Sul-Americana

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • MARTIN BERNETTI/AFP

    Autor do gol da vitória do Fla: Emerson não balançava as redes desde março

    Autor do gol da vitória do Fla: Emerson não balançava as redes desde março

A fase é realmente boa no Flamengo. E agora não apenas no Campeonato Brasileiro, mas também na Copa Sul-Americana. Mesmo atuando com uma formação recheada de reservas, o time venceu o Palestino, do Chile, fora de casa, e ficou em situação confortável após o duelo de ida das oitavas de final, nesta quarta-feira (21). O gol da vitória por 1 a 0 no estádio Monumental, de Santiago, foi marcado por Emerson Sheik, preterido nos últimos jogos e que não balançava as redes há mais de seis meses – último gol fora em 12 de março.

O triunfo quebrou ainda um jejum do time da Gávea no torneio: o Flamengo não sabia o que era vencer times estrangeiros na Copa Sul-Americana. Em 2011, duas derrotas para a Universidad de Chile.

Com o gol de Sheik que selou o 1 a 0, o Flamengo joga por um empate no jogo de volta do confronto, na próxima quarta (28), em Cariacica (ES). Tranquilo na competição internacional, o Rubro-negro volta suas atenções para a briga pela liderança no Campeonato Brasileiro: próximo desafio é no domingo (18), contra o Cruzeiro, também no Espírito Santo.

Palestino surpreende e pressiona Fla

A humilde equipe chilena tinha tudo para não incomodar o Flamengo no jogo desta quarta. Com pouca torcida, quase nenhum histórico em competições internacionais e um orçamento anual semelhante ao que o Rubro-negro gasta por mês (cerca de R$ 8 milhões), o Palestino entrava como uma zebra. Ainda assim, os donos da casa surpreenderam os cariocas. Com uma boa marcação e saídas rápidas de bola, criaram chances e levaram perigo durante todo o jogo. No segundo tempo, só não abriram o placar graças às boas defesas de Alex Muralha. A derrota por 1 a 0 doeu ao bravo time da capital chilena.

Só faltou o gol: Guerrero vai bem, mas esbarra na trave

CLAUDIO REYES/AFP

Após ficar longe do time por conta de problemas físicos e estomacais, Guerrero voltou ao time do Flamengo. E mesmo isolado no ataque, incomodou os chilenos. Se não chegou a ser o atacante brilhante de outros tempos, mostrou movimentação e utilidade. Fez boas jogadas e chegou a colocar uma bola no travessão após linda jogada. Ainda teve tempo de ganha ruma disputa no corpo dentro da área que deixou Emerson Sheik livre para fazer o gol da vitória

"Auxiliar" Alan Patrick ajuda Zé Ricardo

Com o Flamengo em dificuldades durante o primeiro tempo e o início do segundo, coube ao meia Alan Patrick assumir o papel de auxiliar técnico e ajudar Zé Ricardo. O jogador foi até a beira do campo e sugeriu uma mudança tática ao comandante, que prontamente aceitou. Alan voltou para o lado esquerdo, enquanto Fernandinho passou a atuar pela direita do ataque – Cirino entrou depois para a função. A movimentação, de fato, deu resultado, o time melhorou e achou o gol

Muralha dá razão a Tite

Ivan Alvarado/Reuters

Convocado por Tite, Alex Muralha mostrou que o comandante da seleção brasileira tinha razão em sua escolha. Mesmo com uma equipe reserva, o goleiro foi titular nesta quarta-feira e teve mais uma atuação segura, salvando o time com pelo menos quatro grandes defesas. Nem mesmo os quatro pontos na boca após um choque com o zagueiro Juan abalaram o jogador, que teve participação fundamental ao segurar a vitória por 1 a 0.

"El capitán"

Com os titulares poupados e Juan em campo, a tendência era que o experiente zagueiro assumisse o posto de capitão no Rubro-negro. No entanto, a comissão técnica decidiu dar a braçadeira a Paolo Guerrero. Além de prestigiar o atacante que não vive bom momento, a escolha tinha uma justificativa: aproveitar a fluência do peruano na língua espanhola para possíveis debates com o árbitro uruguaio Jonathan Fuentes.

PALESTINO-CHI 0 x 1 FLAMENGO

Data: 21 de setembro de 2016 (quarta-feira)
Local: Estádio Monumental, em Santiago (Chile)
Árbitro: Jonathan Fuentes (Uruguai)
Auxiliares: Mauricio Espinosa e Nicolas Taran (ambos do Uruguai)
Público presente: 6.995 torcedores
Cartões amarelos: Rodinei (FLA)
Gols: Emerson Sheik, aos 33 minutos do segundo tempo

Palestino
Dario Melo; Sierralta, Luna, Vidal e Cereceda; Farías, Carvajal, Vidangossy (Silva) e Mazurek (Diego Torres); Valencia (Paredes) e Benegas
Técnico: Nicolás Córdova

Flamengo
Alex Muralha; Rodinei, Rafael Vaz, Juan e Jorge; Cuéllar, Márcio Araújo, Mancuello (Emerson), Alan Patrick (Chiquinho) e Fernandinho (Marcelo Cirino); Paolo Guerrero
Técnico: Zé Ricardo

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos