Diego volta a falhar com a camisa do Flamengo em momento decisivo

Leo Burlá, Pedro Ivo Almeida e Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Bruna Prado/Getty Images

    Diego não teve atuação de destaque na decisão entre Flamengo e Independiente-ARG

    Diego não teve atuação de destaque na decisão entre Flamengo e Independiente-ARG

Um dos principais expoentes do milionário Flamengo, o meia Diego, mais uma vez, não conseguiu justificar toda a confiança depositada sobre seus ombros na hora decisiva.

No empate por 1 a 1 com o Independiente, resultado que deu o título da Copa Sul-Americana para a equipe argentina, o camisa 10 não se omitiu, deu alguns bons passes, mas não conseguiu ser o líder que a torcida espera, assim como já tinha acontecido na finalíssima da Copa do Brasil, quando perdeu um pênalti.

Clique aqui para ver os gols e os melhores momentos da segunda partida da final

Exaltado nas arquibancadas, nos bastidores, entre os críticos e com prestígio na seleção brasileira, Diego liderou um grupo que ficou marcado por fracassos recentes, onde a relação investimento x resultado foi constantemente questionada. Com mais um vice, as dúvidas ainda estarão presentes em 2018.

"Sem dúvida alguma, saio decepcionado. Apostamos tudo nesse título. Vamos ter um 2018 de muito trabalho", analisou o meia.

Na temporada de estreia de Diego, com um time já mais badalado, o Flamengo perdeu a corrida pelo Campeonato Brasileiro e foi eliminado de maneira muito criticada para o modesto Palestino, do Chile, na Copa Sul-Americana. A expectativa era de resultados melhores para 2017, especialmente pela projeção de investimentos.

O primeiro semestre, no entanto, foi uma ducha de água fria, amenizada somente pelo título carioca. A eliminação precoce na Libertadores da América aumentou a insatisfação e o tom das críticas. A campanha irregular no Campeonato Brasileiro incomodava. A ida à final da Copa do Brasil parecia salvar o ano, mas a derrota nos pênaltis findava uma paciência que já não era das maiores em diretoria e torcida, agora ainda menor com o tropeço na Sul-Americana.

Apesar de o ano terminar com um sabor amargo para os rubro-negros, o técnico Reinaldo Rueda preferiu olhar adiante. O colombiano admitiu que o revés representou um duro golpe", mas analisou com otimismo a próxima temporada.

"Sabemos que temos de fazer ajustes importantes. Temos Copa do Brasil, Libertadores. Vamos tentar fortalecer esse grupo em algumas posições. O projeto é prosseguir. Temos um grande desafio adiante", disse Rueda.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos