Cursos de universidade ajudam na evolução tática de lateral do Atlético-MG

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini / Atlético MG

    Patric usa os estudos para crescer dentro de campo e seguir no futebol após aposentadoria como jogador

    Patric usa os estudos para crescer dentro de campo e seguir no futebol após aposentadoria como jogador

Com a saída de Marcos Rocha, Patric superou a disputa com Samuel Xavier e assumiu a titularidade da lateral direita do Atlético-MG. Para ganhar a concorrência interna, o jogador tem um trunfo em relação ao companheiro de equipe. Desde o ano passado, quando estava emprestado ao Vitória, Patric decidiu estudar futebol. O camisa 29 do Galo buscou cursos especializados para aprender mais sobre o jogo, dentro e fora de campo.

O resultado, na visão do próprio atleta, tem sido bastante satisfatória. Patric tem feito uma temporada regular, superando as críticas das outras passagens pelo Atlético. Na Cidade do Galo desde janeiro de 2011, o lateral jamais conseguiu se firmar como titular. Tanto que foram seis empréstimos após ser comprado pelo clube mineiro.

Através de indicação feita por amigos, Patric procurou a Universidade do Futebol, instituição especializada no assunto. "Começou com amigos, que me falaram do curso, que seria interessante para eu fazer. Então eu fui pesquisar sobre o curso e tive o primeiro contato. Comecei a fazer e que de fato aquilo ia trazer um crescimento para a minha vida como um todo"', explicou Patric, em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

Como o curso é feito à distância, o lateral não teve nenhum problema para conciliar estudos com treinos e jogos. Aliás, a rotina de um jogador profissional até ajudou Patric. Mesmo estudando todos os dias em casa, as concentrações se tornaram o momento de dedicação aos estudos.

"Na concentração sempre é o melhor, pois já estamos ali, trançadinhos. Em casa é momento de dar atenção para a esposa e para o filho, então em casa fica apertado. Mesmo assim eu tiro um tempo para estudar. Tenho uma disciplina e tirou pelo menos uma hora por dia para aproveitar bem. O curso não dura muito tempo, é prático de fazer e muito tranquilo", explicou o lateral, que no fim do ano passado esteve em São Paulo para uma aula presencial.

"O curso é feito à distante, pela internet, o que deixa tudo mais fácil. Tem aulas presenciais, mas não somos obrigados a ir. Felizmente no ano passado eu consegui ir. Tive Paulo Autori como palestrante, o próprio Eduardo Baptista, que foi meu treinador no Sport, teve o Gilberto Silva também. Aquilo me incentivou a buscar mais conhecimento", disse Patric.

Entendimento maior durante os treinos

Apesar de ser jogador do Atlético desde 2011, Patric tem apenas 116 jogos pelo clube. O zagueiro Leonardo Silva, por exemplo, que também chegou à Cidade do Galo há sete anos, já passou das 300 partidas. Sem conseguir ser regular e bastante criticado pela torcida, o lateral rodou bastante.

Empréstimos para Ponte Preta, Avaí, Náutico, Coritiba e Sport. Aos 29 anos, o jogador tem contrato com o Galo até o final da temporada. A meta do momento é conseguir finalmente se estabelecer o dono da posição, agora que não tem mais a concorrência de Marcos Rocha, que foi o dono do posto entre 2012 e 2017. Algo que será possível se Patric se mantiver em bom nível e seguir como titular do Atlético.

No que depender dos treinamentos de Thiago Larghi, um treinador que se formou através dos estudos, Patric vai se dar bem.

"Isso concilia bastante com o trabalho desenvolvido pelo Thiago, mas a gente estuda várias maneiras de se jogar, pois cada treinador tem seu estilo. Dentro do perfil do treinador você vai encaixando. Mas além da questão técnica e gestão do grupo, o curso abrange também o marketing, que são coisas que você vai deixando um pouco de lado. Hoje em dia sabemos da importância das redes sociais e a maneira de comportar com as pessoas.  Não é uma faculdade, mas é um curso que te dá um direcionamento", disse o lateral atleticano, que além da parte tática, tem gostado bastante sobre os temas que envolvem gerenciamento de grupo e marketing.

"É bem voltado para a parte tática e para o gerenciamento de pessoas. A gente precisa entender que num grupo de 30 pessoas às vezes é preciso saber gerenciar o que você pode dar de melhor. Fica uma visão mais ampla nos treinamentos também. Quando o treinador vai explicar eu já consigo entender melhor algumas coisinhas, que estão sem bem bacanas", completou Patric, que pretender estudar ainda mais, já que a meta é seguir no futebol após encerrar a carreira como jogador.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos