Sonho de Bauza, Ortigoza é pesadelo para rival argentino do São Paulo

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Divulgação/Rosário Central

    Ortigoza chegou com badalação ao Rosário, mas só jogou uma vez até aqui

    Ortigoza chegou com badalação ao Rosário, mas só jogou uma vez até aqui

O torcedor do São Paulo mais atento lembrará que há dois anos um jogador passou meses sendo apontado como possível reforço do clube. O paraguaio Nestor Ortigoza, volante e campeão da Libertadores pelo San Lorenzo, era o principal sonho do técnico Edgardo Bauza para dar mais "jerarquia" ao Tricolor. O desejo do treinador argentino, no entanto, não se cumpriu. O São Paulo até comemorou ter conseguido evitar sua contratação e agora, por coincidência, terá o meio-campista pelo caminho nesta semana. Ou quase isso.

No meio de 2017, após breve passagem pelo paraguaio Olimpia, Ortigoza foi anunciado com pompa como a principal contratação do Rosário Central para o Campeonato Argentino que está em andamento. Recebeu a camisa 10 e status de estrela de um time sem nomes badalados. Mas, passado quase um ano, o volante soma apenas uma partida e seguidas lesões, que inclusive o deixaram fora do jogo desta quinta-feira, às 21h30, contra o São Paulo, válido pela primeira fase da Copa Sul-Americana.

Divulgação/Rosário Central
Ortigoza, contra o Godoy Cruz, pouco antes de se machucar

A única atuação de Ortigoza pelo Central foi em 17 de fevereiro deste ano, com só 17 minutos em campo. Seu time bateu o Olimpo por 5 a 0 no estádio Gigante de Arroyito, pela 16ª rodada do Campeonato Argentino. Uma semana depois, o jogador de 33 anos foi relacionado para um confronto com o Lanús, mas não entrou. Na semana seguinte veio chance para ser titular. O problema é que, com os times posicionados para o duelo com o Godoy Cruz começar em 3 de março, o veterano sentiu nova lesão, na panturrilha direita e precisou ser substituído.

Ortigoza se desesperou, precisou ser consolado pelos companheiros, mas não escapou das vaias da torcida "canalla", como são conhecidos os seguidores do Central. Desde então, segue em tratamento para voltar a jogar. E, nos momentos de aflição, qualquer ajuda é bem-vinda. Um torcedor do time argentino aproveitou visita ao Vaticano para se aproximar do Papa Francisco, notório torcedor do San Lorenzo e que "abençoou" a conquista da Libertadores de 2014, para pedir "ore por Ortigoza!".

Na época de Bauza, o São Paulo decidiu resistir aos pedidos do técnico por considerar que o volante paraguaio havia triunfado no San Lorenzo por estar adaptado a um esquema muito específico. Contratar um jogador acima dos 30 anos, com problemas para manter a forma física - é chamado de "el Gordo" na Argentina - era visto como algo arriscado.

Bauza acabou deixando o Tricolor poucos meses depois e o clube ainda teve de ficar com Julio Buffarini, outro xodó do treinador nos tempos de San Lorenzo que nunca conseguiu repetir as boas atuações no Brasil. O lateral-direito ficou por um ano e meio no Morumbi e registrou uma assistência e nenhum gol, até ser vendido em janeiro para o Boca Juniors.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos