Tropeços seguidos do Barça reacendem esperanças de Atlético e Real Madrid

do UOL, em São Paulo

Se você olhasse a tabela do Campeonato Espanhol há três rodadas com certeza diria que o Barcelona já estava com uma mão na taça. Hoje, graças a três tropeços seguidos da equipe comandada por Luis Enrique, a situação, faltando ainda seis rodadas, é completamente diferente. 

Vamos voltar na 29ª rodada, quando o Barcelona massacrou o Getafe por 6 a 0, com dois gols de Neymar e três assistências de Messi, e alcançou a marca de 37 jogos sem perder no Campeonato Espanhol. Naquela altura da competição, o Barça, com 12 vitórias seguidas, chegava aos 75 pontos conquistados, abrindo uma vantagem de oito pontos para o Atlético de Madri e, acreditem, 12 para o Real Madrid.

O grande problema da equipe de Messi, Neymar e Suárez é que três tropeços seguidos (e uma consistência dos rivais de dar inveja) foram responsáveis por mudar todo panorama do Espanhol. Enquanto o Barcelona somou apenas um ponto de nove possíveis, o Atlético conseguiu seis e o Real Madrid, simplesmente, nove.

Nas últimas três rodadas do Campeonato Espanhol, o Barcelona empatou com o Villarreal (2 a 2), perdeu um confronto direto para o Real Madrid (2 a 1) e, neste sábado, caiu para a Real Sociedad (1 a 0).

O Atlético de Madri até decepcionou no primeiro desafio dessa última sequência de três jogos - uma derrota para o Sporting Gijón (2 a 1) -, mas goleou o Bétis (5 a 1) e superou o Espanyol (3 a 1), tirando, assim, cinco pontos de vantagem para o líder da competição, ficando agora apenas três pontos atrás.

Se a equipe comandada por Simeone já comemorou (e muito) os cinco pontos tirados da vantagem do Barcelona, o que dizer do Real Madrid? Doze pontos atrás há um mês, os merengues emplacaram três vitórias seguidas (agora já são 12 no Espanhol) e agora está apenas quatro atrás dos maiores rivais.

Para o time de Zinedine Zidane, o ponto crucial foi o triunfo no clássico, que, além de tirar pontos do Barça, deu moral ao clube no torneio. Além do 2 a 1 sobre os catalães, eles ainda golearam o Sevilla e o Eibar por 4 a 0.

Depois do último tropeço do Barcelona, Iniesta admitiu que o momento do Barcelona não é dos melhores, mas destacou que a vantagem ainda pertence ao time do Camp Nou. "Em uma temporada, há todos os tipos de momentos. Mas somos o Barça, sabemos que temos o nosso objetivo muito perto. Somos líderes. Não temos o que lamentar. Essas coisas acontecem", declarou, antes de completar. "Apertou um pouco mais, mas vamos seguir."

"Ainda faltam seis rodadas e essa é uma liga aberta e apaixonante. Ganhará o melhor. Eles são jogadores, não máquinas. Agora vou pensar na quarta-feira (Liga dos Campeões) e, depois, na partida contra o Valencia. Nunca dissemos que seria fácil e agora temos uma oportunidade para demonstrar que somos a melhor equipe do mundo", disse Luis Enrique.

Os únicos motivos que podem fazer o Barcelona sorrir nesta má fase são os confrontos diretos, primeiro critério de desempate no Campeonato Espanhol. Como venceu os dois jogos contra o Atlético de Madri e leva vantagem no saldo de gol nas partidas contra o Real, o Barça só perderá a liderança da competição caso algum dos dois rivais o ultrapassem em pontos conquistados. Se empatarem nesse quesito, Luis Enrique, Messi, Neymar e Suárez podem ficar tranquilos: a taça ainda será deles.

UOL Cursos Online

Todos os cursos