Mascherano despista sobre interesse da Juventus: "Tudo termina um dia"

Do UOL, em São Paulo

  • EFE/Jorge Zapata

    Mesmo titular do Barça e da seleção argentina, Mascherano negou qualquer relaxamento

    Mesmo titular do Barça e da seleção argentina, Mascherano negou qualquer relaxamento

Desde que Javier Mascherano chegou ao Barcelona em agosto de 2010, o argentino e o clube catalão colheram inúmeros frutos juntos: quatro títulos do Campeonato Espanhol, dois da Liga dos Campeões e das Supercopas da Espanha e da Uefa, três da Copa do Rei e duas edições do Mundial de Clubes. No entanto, o alegado interesse da Juventus pelo futebol do polivalente pode colocar um ponto final nessa relação – possibilidade não negada pelo jogador.

"Não estou falando de uma saída, mas sempre analiso as questões. Para deixar um clube como o Barcelona, preciso analisar muitas coisas, já que aqui tenho a possibilidade de ganhar títulos e ter qualidade de vida. Mas tudo termina um dia. Não sei se vai ser agora, em um ano, dois ou três", começou em conversa com o TyC Sports.

O atleta ainda fez referência ao seu conturbado histórico com o fisco espanhol, que também abalou a vida pessoal de alguns de seus principais colegas de equipe. "Eu analiso tudo, (o interesse da Juventus) é um boato. Por enquanto, estou no Barcelona. Sou agradecido ao clube, mas tem gente aqui que sabe qual é a minha opinião sobre tudo o que vivi nesse ano, com os problemas na minha vida pessoal. A diretoria e a comissão técnica sabem disso tudo com clareza", disse.

Capaz de atuar como zagueiro ou volante, o argentino ainda não descarta um retorno ao River Plate, agremiação que o projetou ao futebol. A possibilidade, porém, parece distante. "Entendo que o torcedor tenha suas vontades e possa reclamar. Existem decisões de todos os tipos, não só esportivas, mas também de vida. No momento atual, talvez eu volte. Ou talvez não. Não vou prometer algo que posso não cumprir", ponderou.

Mascherano ainda revelou não se considerar titular absoluto da Argentina, embora seja peça chave do time que disputará a Copa América nos Estados Unidos. "Sempre tenho essa sensação. Sou uma pessoa que sempre pensa na possibilidade mais negativa e isso me mantém em alerta. Nunca relaxei por estar aqui há tanto tempo. Sempre tenho em mente que toda partida pode ser a última, sou assim com tudo. Não há relaxamento no clube ou na seleção", afirmou. Antes do torneio continental, entretanto, o grupo de Gerardo Martino ainda enfrentará a seleção de Honduras nesta sexta-feira, às 20h30 (de Brasília).

UOL Cursos Online

Todos os cursos