Intocável no Real, Marcelo "reinará" sem Neymar no superclássico espanhol

João Henrique Marques

Do UOL, em Barcelona

  • Sergio Perez/Reuters

Drible, passe preciso e velocidade na ponta esquerda. Pode parecer, mas não é Neymar. As características do atacante do Barcelona são as mesmas que deixam o lateral Marcelo com moral para o superclássico no Santiago Bernabéu, domingo, pelo Campeonato Espanhol. Com a ausência quase certa do atacante do Barça na partida (já que o clube catalão ainda tenta um recurso para colocá-lo em campo), o jogador do Real Madrid "reinará" como o brasileiro com mais chances de desequilibrar no clássico.

E não é só pela linda jogada driblando três adversários e dando passe para o gol de Cristiano Ronaldo na vitória por 4 a 2 na prorrogação contra o Bayern de Munique no meio de semana, pela Liga dos Campeões. O rendimento de Marcelo na temproada é excelente. No Real Madrid, virou imprescindível, sem nenhum reserva à altura.

"Te diria que é o jogador mais importante do Real Madrid na reta final. Por um contexto. Principal armador, elo com Cristiano Ronaldo e sem substituto, com Fabio Coentrão em estado físico ruim toda a temporada e o zagueiro Nacho sendo improvisado. O moral dele com Zidane e torcida está gigante", comentou Bruno Alemany, repórter da radio Cadena Ser de Madri.

"Não sei se é o melhor, mas é uma alegria ver ele (Marcelo) jogar. Alem de um capitão, é um espetáculo. Estou contente com a evolução que teve e o que produz atualmente", destacou Zidane após o jogo contra o Bayern de Munique.

No Campeonato Espanhol, Marcelo atuou em 25, dos 31 jogos do Real Madrid. É o terceiro jogador do time com mais passes, com 58 por partida (atras de Kroos, com 64 e Sergio Ramos, com 61). Em assistências, já são oito no total. A segunda melhor marca do time somente atrás de Toni Kroos, que soma dez.

Marcelo é ótimo apoio a Cristiano Ronaldo pela esquerda. Por sinal, é quem mais deu passes para gols do português na competição, com quatro no total.

Ofensivamente, o ponto negativo é a finalização. Além de poucas tentativas, com 15 chutes no total, Marcelo tem dificuldade de acertar o gol. São somente três finalizações certas, tendo marcado um gol na competição – na vitória contra o Betis por 6 a 1.

As críticas defensivas que acompanham a carreira do lateral diminuíram consideravelmente. Zidane jamais tirou Marcelo do time titular ideal para proteger a equipe como já fizeram os antecessores Carlo Ancelotti e José Mourinho.

Com o treinador francês, Marcelo tem confiança. Abusa de recuadas com o peito, as mesmas que lhe custaram duras críticas no duelo Uruguai x Brasil pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. - Cavani interceptou a recuada e sofreu pênalti de Alisson.

No Real Madrid, Marcelo chegou com 18 anos e atua há 11 temporadas. São 13 títulos  conquistados, sendo três Espanhois, duas Liga dos Campeões e duas Copa do Rei.

São 400 partidas no total. Número maior até mesmo do que o lendário Di Stefano, ídolo maximo do clube, que atuou 396 vezes na década de 60.

"Que bom é despertar e saber que sou do Real Madrid. Nao tem preço!", postou Marcelo em sua conta na rede social Twitter essa semana ao comemorar os 400 jogos pelo clube.

UOL Cursos Online

Todos os cursos