Empate do Barcelona tem 'furto' a Paulinho e gol de mão para o Celta

Do UOL, em São Paulo

  • Miguel Riopa/AFP

O Barcelona segue cada vez mais próximo do título do Campeonato Espanhol, mas deixou de somar mais três pontos nesta terça-feira (17) por conta de um gol ilegal do Celta de Vigo, que decretou o empate em 2 a 2, no Estádio dos Balaídos, pela 33ª rodada.

Quando perdia por 2 a 1, com tentos anotados por Dembélé e Alcácer, que "furtou" gol que seria de Paulinho, o time da casa igualou com Iago Aspas, que empurrou para o gol a bola com a mão após dividir o lance com Ter Stegen na área.

O empate, no entanto, manteve a invencibilidade catalã no Espanhol. São 40 partidas sem derrotas para o Barcelona na competição, somando a temporada passada. Porém, o time não vence o Celta como visitante desde 2015.

Com título espanhol perto, final vira prioridade

REUTERS/Miguel Vidal

O técnico Ernesto Valverde optou por rodar o elenco e poupar titulares diante do Celta, ainda que a opção pudesse custar a perda de invencibilidade no Espanhol, e assim preservar força máxima para a final da Copa do Rei, neste sábado (21), contra o Sevilla, no Estádio Wanda Metropolitano, em Madri. O zagueiro Umtiti, os laterais Sergi Roberto e Jordi Alba e os atacantes Messi e Luis Suárez iniciaram o duelo no Balaídos no banco de reservas. Os meio-campistas Sergio Busquets, Rakitic e iniesta nem sequer apareceram entre os relacionados - os dois primeiros se recuperam de lesões.

A escalação titular do Barça nesta terça-feira acabou rompendo uma "tradição" de um clube formador de atletas por excelência: foi a primeira vez em 16 anos que os catalães não tiveram um jogador oriundo das categorias de base entre os 11 iniciais de uma partida oficial.

Como fica a corrida pelo título

Com o resultado em Vigo, o Barça chega a 83 pontos, abrindo 12 de vantagem para o segundo colocado, o Atlético de Madrid, que irá a campo na rodada nesta quinta-feira (19), diante da Real Sociedad, fora de casa, e pode precisar de, ao menos, mais duas rodadas para assegurar a taça por antecipação.

O próximo compromisso dos catalães pelo Espanhol será contra o Villarreal, no Camp Nou, em 8 de maio.

O melhor: Ter Stegen

Com a defesa do Barcelona formada por reservas, e desatenta na maioria das investidas dos rivais, com muitos espaços deixados para os contra-ataques, brilhou a estreia do goleiro titular da seleção da Alemanha para evitar o pior.

Foram duas defesas espetaculares no primeiro tempo: aos nove minutos, em chute à queima-roupa de Maxi Gomez na área, e aos 33, em finalização colocada de Brais Mendez, espalmada de mão trocada, esbanjando reflexo e agilidade. Ter Stegen ainda contou com a sorte em contra-ataque do Celta, mas o arremate com efeito de Mendez beliscou a trave direita do Barça e saiu.

No segundo tempo, a defesa catalã continuou provocando calafrios, mas contou com a má pontaria de Jozabed, cara a cara com Ter Stegen, para não levar outro gol. Mesmo se destacando, o alemão não teve culpa nos lances que originaram os gols de Jonny Castro e Iagio Aspas.

Os piores: André Gomes e Sergi Roberto

O inferno astral do meio-campista português continua. Escalado como titular do Barça, André Gomes mostrou pouca efetividade e esbanjou apatia no lance que originou o gol de empate do Celta, ao errar o passe que provocou o contra-ataque adversário e ser facilmente driblado por Maxi Gomez na linha de fundo, dando brecha para o cruzamento que chegou para Jonny Castro empatar.

Gomes deixou o campo aos 14 minutos do segundo tempo para a entrada de Sergi Roberto, que também não acrescentou nada ao jogo. O lateral/volante ficou apenas seis minutos em campo e levou cartão vermelho após agarrar Iago Aspas pelas costas - o atacante do Celta só teria Ter Stegen pela frente se não fosse puxado.

Dois gols em bolas roubadas

Os primeiros gols de Celta e Barcelona, ambos na etapa inicial, tiveram uma característica em comum: bolas recuperadas no meio de campo que viraram contra-ataques fatais.

O Barça saiu na frente, aos 35 minutos. Coutinho aproveitou um lançamento errado da defesa adversária e lançou Alcácer, que tocou de primeira para Dembélé. O meia-atacante francês chutou forte e cruzado, sem chance de defesa para Álvarez.

Antes do intervalo, Jonny Castro interceptou passe errado de André Gomes, armou o contra-ataque e correu para a área, mandando para o gol vazio o cruzamento rasteiro feito por Maxi Gomez pela direita.

Meia hora de Messi

Aos 14 minutos do segundo tempo, e com o Celta criando mais riscos à zaga catalã, Ernesto Valverde colocou Lionel Messi em campo, no lugar de Coutinho. O craque argentino, no entanto, não entrou no mesmo ritmo da equipe e errou passes que normalmente não erraria. Luis Suarez nem foi a campo em Vigo.

Gol de Paulinho, só que não

Uma bela jogada pela direita culminou no segundo gol do Barça no Balaídos. O lateral Semedo recebeu em profundidade e cruzou rasteiro para Paulinho, que dividiu com Álvarez. A bola entraria, mas Alcácer desviou levemente antes de cruzar a linha.

Nas redes sociais, o Barça computou o gol para o volante brasileiro, mas o site do Campeonato Espanhol registrou o tento em nome do atacante espanhol.

Empate ilegal

Pelo que construiu durante 90 minutos, o empate do Celta seria justo, pena que tenha saído com um gol ilegal.

Aos 36 minutos do segundo tempo, Iago Aspas se antecipou a Ter Stegen após cruzamento vindo pelo lado esquerdo. Na dividida com o goleiro do Barça, a bola pegou na mão do atacante espanhol e entrou. A arbitragem validou o lance.

FICHA TÉCNICA
CELTA 2 X 2 BARCELONA

Torneio: Campeonato Espanhol
Data: 17 de abril de 2018
Local: Estádio de Balaídos, em Vigo (ESP)
Árbitro: David Fernández  Borbalán (Espanha)
Cartões amarelos: Iago Aspas, Jonny Castro e Wass (Celta)
Cartões vermelhos: Sergi Roberto
Gols: Dembélé, aos 35 minutos do primeiro tempo; Jonny Castro, aos 44 do primeiro tempo; Alcácer, aos 18 do segundo tempo; Iago Aspas, aos 36 do segundo tempo.

CELTA: Álvarez, Wass, Roncaglia, Gomez e Jonny Castro; Brais Mendez (Lucas Boyé), Jozabed (Radoja) e Lobotka; Sisto (Emre Mor), Maxi Gomez e Iago Aspas. Técnico: Juan Carlos Unzué.

BARCELONA: Ter Stegen, Semedo, Yerry Mina, Vermaelen e Digne; Paulinho, André Gomes (Sergi Roberto) e Denis Suárez; Philippe Coutinho (Messi), Dembélé (Vidal) e Alcácer. Técnico: Ernesto Valverde.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos