Projeto "lesão zero". Vasco tem apenas uma contusão muscular em 9 meses

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Paulo Fernandes / Site oficial do Vasco

    Nenê passa por avaliação odontológica do Caprres: objetivo é evitar lesões musculares

    Nenê passa por avaliação odontológica do Caprres: objetivo é evitar lesões musculares

Investindo de forma pesada num trabalho de prevenção desde o ano passado, o Vasco começa a colher frutos de seu projeto "Lesão Zero", criado pelo Caprres (Centro Avançado de Prevenção, Recuperação e Rendimento Esportivo). Nos últimos nove meses, por exemplo, apenas uma contusão foi diagnosticada como muscular, justamente a do atacante Riascos, que aconteceu recentemente no empate em 1 a 1 com o Botafogo pelo Campeonato Carioca, onde ficou constatado um estiramento grau 1 na coxa direita do colombiano.

Anteriormente, tal situação só havia acontecido em junho de 2015, quando Serginho, hoje no Sport, e Dagoberto, que acertou com o Vitória, também apresentaram estiramentos.

Com aparelhos de alta tecnologia e um acompanhamento semanal dos jogadores, o Vasco hoje tem total controle da situação dos seus atletas, o que fez com que, por exemplo, o zagueiro Luan e o meia Andrezinho fossem poupados da partida contra o Bonsucesso, no último sábado, para evitar possíveis lesões.

"Não estou com dor. Foi mais uma prevenção do Cappres. Isso é importante", elogiou Andrezinho.

Desde que a filosofia do Caprres foi implementada, comissão técnica, fisiologistas, médicos e preparadores físicos buscam sempre estar em diálogo e sintonia. Com Jorginho, esta comunicação tornou-se ainda mais intensa, o que contribuiu para este quadro saudável do elenco.

"A saúde está diretamente ligada a vitórias. Estamos, por exemplo, sem perder desde o ano passado (quatro meses), e acreditamos que a saúde está relacionada. O Jorginho tem ouvido muito, então, ele aplica tudo o que está sendo desenvolvido pelo Caprres no campo. Ele acredita no trabalho, na prevenção, no tratamento e na preparação física, que hoje é dirigida pelo Joelton (Urtiga). Essas pessoas nos ouvindo permitem que o trabalho funcione melhor ainda", destacou ao Vasco TV o coordenador científico do clube, Alex Evangelista.

O profissional, inclusive, fez um comparativo entre o Caprres e empresas que costumam contabilizar por quanto tempo estão sem ocorrências de acidentes de trabalho.

"É como qualquer empresa que tem um projeto de segurança no trabalho, com quantas pessoas se machucaram no ano, no semestre... Quanto mais se reduz, há até um plano de bonificação do governo. Isto é da mesma maneira como ocorre aqui no Vasco, pois pensamos que quanto mais tempo o jogador fica sem se machucar, o Vasco estará lhe dando mais condições de trabalho", disse.

Obras do espaço físico do Caprres avançam

O Caprres, muito em breve, terá seu próprio espaço físico. As obras do centro de saúde do Vasco seguem em ritmo acelerado em São Januário. A previsão de conclusão segue mantida para abril e o clube promete ter o centro de recuperação mais moderno da América Latina. O local de dois andares contará com uma série de equipamentos da mais alta tecnologia, além de piscinas projetadas e até mesmo espaço odontológico.

A construção está sendo feita em parceria com a Ambev, empresa de bebidas que financiou o projeto.

Divulgação
Imagem de como ficará o Caprres em São Januário após as obras

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos