Vasco descarta 'burrice' e usa cada vez mais Nenê em engrenagem

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

Nenê é o nome do Vasco quando faz gols, dá assistências ou até quando produz menos do que os torcedores se acostumaram. O camisa 10 foi marcado de perto pelos defensores do Boavista, mas terminou mais uma vez fundamental ao cobrar o escanteio que resultou no gol de Marcelo Mattos para a vitória por 1 a 0 sobre o time da Região dos Lagos, sábado (19), em Cariacica (ES).

O meia deu um balão, levou até caneta do adversário e não se escondeu do jogo mesmo após algumas entradas violentas. A bola passa cada vez mais por ele, que comanda a engrenagem cruzmaltina apesar da perseguição dos marcadores e da forma conhecida como a equipe se apresenta.

O técnico Jorginho reconheceu a dependência do talento de Nenê. No entanto, o comandante deixou claro que é inviável abrir mão disso.

"O sistema é todo montado para que ele contribua. O Nenê é um jogador muito qualificado tecnicamente e seria uma burrice se as jogadas não passassem pelos pés dele. O mais importante é que ele busca o jogo e está sempre próximo da bola. Isso faz toda a diferença", afirmou.

Nenê foi o jogador mais assediado pela torcida vascaína no Espírito Santo. Ciente da importância para os torcedores, o ídolo segue a trajetória com o objetivo de marcar o nome em São Januário. Pelo Cruzmaltino, o camisa 10 disputou até o momento 32 jogos e fez 14 gols.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos