Wallace após invasão ao treino do Fla: "Ninguém gosta de ser intimidado"

Do UOL, no Rio de Janeiro

Capitão da equipe, o zagueiro Wallace foi o escolhido para conversar com a imprensa após o treino no Ninho do Urubu que foi marcado pela invasão de membros de organizadas. Os torcedores acabaram tendo uma reunião com os jogadores e o defensor se mostrou um tanto quanto incomodado com a situação.

"Invadiram o CT, deram a posição deles, e o clube tomou as providências. Não houve nada de relevante para ser ressaltado. Não é normal, mas no Brasil é corriqueiro. Ninguém gosta de ser intimidado. Eu não tenho que achar nada, mas se alguém da diretoria ou o Rodrigo Caetano (diretor executivo de futebol) achou viável que eles ficassem aqui, problema deles. Foi uma conversa normal, tranquila, sem agressão verbal ou física. Mas ninguém gosta que invadam sua casa. Fizeram reivindicações, conversamos e colocamos nosso ponto de vista", explicou.

Wallace revelou que, inicialmente, a reunião com os torcedores teria a presença de cinco atletas, mas o restante do elenco fez questão de marcar presença também, algo que o zagueiro fez questão de ressaltar.

"A conversa era com cinco jogadores, mas quando eu olhei para trás, todo o grupo estava presente. Isso mostra que estamos unidos", declarou.

No total, cerca de oito torcedores estiveram reunidos com os jogadores. Wallace frisou ainda que, caso o Flamengo vença o clássico desta quarta com o Vasco, em Brasília (DF), será por mérito do grupo, e não por pressão das organizadas.

"Se a gente ganhar quarta ou domingo (contra o Botafogo), não será porque eles invadiram. Ninguém tem esse direito", pontuou.
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos