Eurico define como esdrúxula absolvição de Guerrero: 'Queriam beijar ele'

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Paulo Fernandes / Site oficial do Vasco

O presidente do Vasco, Eurico Miranda, soltou o verbo nesta sexta-feira após o treinamento do time em Manaus. Ele pediu a palavra para agradecer os torcedores locais, que fizeram grande recepção ao elenco. Mas o dirigente aproveitou também para desabafar e criticar o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-RJ), que absolveu Paolo Guerrero e suspendeu Rodrigo por um jogo por causa da confusão entre os atletas.

Eurico lembrou que após o julgamento, a presidente da 2ª Comissão Disciplinar, Renata Mansur, posou para foto com o jogador do Flamengo, o que gerou forte críticas.

"Não gosto muito de falar de decisões de tribunal. Aquela decisão [punição de Rodrigo e absolvição de Guerrero], você pode chamar do nome que quiser. Esdrúxula, heterodoxa... Aquilo não contribui em nada para o futebol. Foi uma demonstração clara de parcialidade. Aquilo parecia uma festa depois. A presidente queria beijar o jogador, o outro queria beijar não sei quem... É um negócio que prefiro nem comentar. Não tinha dúvidas que teríamos o efeito suspensivo e também tenho certeza que essa penalidade do Rodrigo vai ser revertida", desabafou o presidente do Vasco.

Antes, o mandatário havia elogiado a festa organizado pela torcida do Vasco em Manaus. "Antes que me perguntem algo, quero registrar que estou dando essa coletiva e não é muito comum para mim, não sou muito chegado a isso. Estou fazendo isso em homenagem a recepção que tivemos em Manaus e à torcida do Vasco", elogiou.

Com Fred de volta, o Fluminense encara o Vasco neste domingo pela última rodada da Taça Guanabara. Com as equipes estão empatadas e não podem ser ultrapassadas pelo Botafogo, 3º colocado, a partida ganhou condição de final.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos