Festa do Carioca tem Rodinei sem intimidade com terno e Eurico dando ordens

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Bruno Braz / UOL Esporte

    Rodinei, do Fla, revelou estar usando terno somente pela segunda vez em sua vida

    Rodinei, do Fla, revelou estar usando terno somente pela segunda vez em sua vida

O Campeonato Carioca de 2016 teve sua noite de gala nesta segunda-feira quando um evento foi realizado para premiar os melhores da competição. Com a exigência de que os trajes fossem "passeio completo", os boleiros esbanjaram estilo e o lateral direito do Flamengo Rodinei roubou a cena com sua pouca intimidade com o terno.

Eleito o melhor de sua posição, ele surgiu no teatro que abrigou a festa, num shopping na Zona Oeste do Rio, vestindo um blazer cinza e uma blusa rosa clara. Sempre bem humorado, o jogador desabafou sobre a vestimenta.

"Terno eu fico perdido, cara. A única vez que usei terno foi quando eu casei. Agora fico perdidinho (risos). Eu fico 'duro' aqui dentro deste terno, mas é por uma causa boa. Graças a Deus consegui esse prêmio", declarou.

Animado, Rodinei foi logo avisando que a festa não era somente do rival Vasco, campeão estadual no último domingo.

"O Vasco mereceu, fizeram por onde. E tem mais é que comemorar na festa. Mas a festa não é só deles, porque eu também estou comemorando aqui já que fui eleito o melhor lateral direito do campeonato. Então vamos aproveitar", ressaltou.

Enquanto o lateral direito rubro-negro concedia entrevista, o presidente do Vasco, Eurico Miranda chegou ao local acompanhado de seguranças e do trofeu da competição. Ciceroneado por membros da diretoria e da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), ele ouviu piadas do ex-jogador e hoje comentarista Ricardo Rocha, sorriu, mas, passados dez minutos, se incomodou com o tempo de espera para que o salão fosse aberto. E foi logo dando ordens ao seu estilo:

"Abre essa p... logo! Eu quero sentar!", proferiu, sendo rapidamente atendido pelos funcionários do estabelecimento.

Bruno Braz / UOL Esporte
Eurico Miranda, presidente do Vasco, chegou à festa com o trofeu do Carioca

 

Já no interior, sentou-se na primeira fileira, sorriu, aplaudiu, criticou e, no fim, puxou o tradicional grito de "Casaca", quando a equipe foi chamada ao palco para receber o trofeu de campeão carioca.

 

Sopa com garfo parte 3

Outra situação que despertou curiosidade foi o encontro entre Andrezinho, do Vasco, e Willian Arão, do Flamengo. Os meias protagonizaram belos duelos ao longo da competição que ficaram marcados, principalmente, pelo áudio vazado do vascaíno que, em conversa com um amigo, ironizava o adversário pela "caneta" que havia dado no clássico, comparando o bote do rubro-negro a tomar sopa com garfo.

Durante a premiação, eles não chegaram a se falar, mas no discurso mantiveram o respeito um pelo outro.

"Conversamos no último jogo que teve. Mas foi como eu disse: faz parte. Ele teve o mérito dele no lance e eu tive no meu (Arão deu um chapeu em Andrezinho no jogo seguinte). São recursos que nós temos no futebol. Está tudo certo. Estou preocupado é com o Flamengo", disse Arão.

Andrezinho também optou por elogios, mas não perdeu a oportunidade de brincar novamente.

"Tomar sopa com garfo não dá (risos). Mas aquilo foi uma brincadeira. Futebol é bom por conta disso. O Arão foi fantástico. Ele sabe que isso faz parte. E ele também depois me deu um chapeu. Na verdade não foi nem chapeu, foi balão, porque a bola foi lá no ceu (risos). Mas o que vale é a brincadeira e, é claro, sem desrespeito algum", declarou o vascaíno que, assim como Arão, foi eleito o melhor meia da competição.

Úrsula Nery/Agência FERJ
Eurico e jogadores do Vasco gritam o "casaca" na premiação do Campeonato Carioca

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos