Cristóvão espera ver duas torcidas no Fla-Flu e minimiza gritos de 'burro'

Do UOL, em São Paulo (SP)

Quando Cristóvão Borges trocou Douglas por Guilherme Costa aos 11 minutos do segundo tempo, a torcida do Vasco se manifestou negativamente contra a decisão do treinador. Após a derrota por 1 a 0 para o Flamengo, que colocou o rival na final da Taça Guanabara contra o Fluminense, o técnico minimizou a reação das arquibancadas no Raulino de Oliveira.

"Essas coisas sempre acontecem quando a gente não está ganhando, quando a gente perde. Nesse momento a torcida fica inquieta, insatisfeita, e ela reage dessas formas", disse o comandante na entrevista coletiva depois da partida. "A mudança foi porque a nossa saída de bola não estava boa, então foi para melhorar isso e deixar o time mais ofensivo. E com isso ficamos mais expostos, mas era um risco que precisava se correr", explicou.

Cristóvão ainda se lembrou de ter ouvido os mesmos gritos no dia 5 de fevereiro. Na ocasião, o Vasco venceu o Resende por 2 a 1, mas desceu para o intervalo em desvantagem no placar. "Isso aconteceu em outros jogos também, como quando viramos o jogo contra o Resende. Isso muda de acordo com o resultado. Nós queremos o nosso torcedor do nosso lado, e eles jogam junto quando a gente vai bem. Isso vai mudar, a regularidade que pretendemos ter e precisamos ter vai ser encontrada", afirmou.

Por fim, o treinador vascaíno manifestou seu apoio às torcidas de Flamengo e Fluminense na final da Taça Guanabara. Segundo Cristóvão, a opção de torcida única não deve ser cogitada. "São duas equipes de nível. Tomara que nem se cogite jogar com torcida única", disse Cristóvão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos