Auxiliar reintegrado que iria trabalhar na Taça Rio é substituído por lesão

Do UOL, no Rio de Janeiro

Veja o pênalti polêmico do clássico

O auxiliar Daniel do Espírito Santo Parro, que havia sido suspenso "por tempo indeterminado" em função de assinalar um pênalti inexistente no clássico entre Flamengo e Vasco em Brasília, chegou a ganhar nova oportunidade e iria trabalhar 14 dias após o episódio na semifinal da Taça Rio deste domingo (9) entre Botafogo e Fluminense, no entanto, o assistente enviou um comunicado por email à Comissão de Arbitragem da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (COAF-RJ) e pediu substituição por alegar contusão:

"Eu, DANIEL DO ESPÍRITO SANTO PARRO, venho por meio desta, comunicar que no meu treinamento de ontem à noite (06/04), sofri uma entorse no tornozelo direito. O local está inchado, dolorido e estou andando com certa dificuldade. Sendo assim, não terei plenas condições físicas e peço a MINHA SUBSTITUIÇÃO da partida Semifinal da Taça Rio entre BOTAFOGO FR X FLUMINENSE FC, a qual foi designado como ASSISTENTE 2 no dia 09/04/17. Agradeço vossa compreensão".

A Ferj acatou a solicitação e o substituiu por Thiago Henrique Neto Correa Farinha, que trabalhará ao lado de Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa e do árbitro Alexandre Vargas Tavares de Jesus.

Já no clássico deste sábado, entre Flamengo e Vasco, no Maracanã, o trio de arbitragem será formado por Wagner do Nascimento Magalhães, Luiz Cláudio Regazone e Michael Correia.

Anteriormente, Daniel do Espírito Santo Parro e o árbitro Luís Antônio Silva Santos haviam sido suspensos pelo fato da Coaf interpretar a ação deles em Brasília como um "erro grotesco".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos