Lesão de João Paulo acirra ânimos e deixa árbitro de Bota x Vasco em xeque

Bernardo Gentile e Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • André Melo Andrade/Eleven/Estadão Conteúdo

    João Paulo lamenta ao sair de maca; perna quebrada chocou no clássico de domingo

    João Paulo lamenta ao sair de maca; perna quebrada chocou no clássico de domingo

O cronometro de Leonardo Garcia Cavaleiro marcava 2min de bola rolando quando João Paulo e Rildo tiveram dura disputa no meio de campo. O atacante cruzmaltino solou e quebrou a perna do rival, que passou por cirurgia e ficará afastado por seis meses. O árbitro tirou o infrator de uma confusão que havia se instaurado e mostrou o cartão amarelo. Três dias depois e o lance ainda movimenta os dois clubes, que se enfrentam nesta quarta-feira, ás 21h45, no Nilton Santos (Engenhão), pela semifinal da Taça Rio.

A revolta do Botafogo se divide em duas frentes. A primeira é pela falta em si e com a perda de João Paulo por um longo período. Outra é a postura da Comissão de Arbitragem da Ferj (Federação de Futebol do Rio de Janeiro), que elogiou a arbitragem de Leonardo Cavaleiro mesmo admitindo que Rildo deveria ter sido expulso. A entidade descartou afastar o profissional inicialmente, mas voltou atrás após nova reunião na tarde da última terça-feira.

O Botafogo estava revoltado com a situação e havia protocolado um ofício na Ferj contra a arbitragem. Segundo o Alvinegro, a competição ficou com a credibilidade manchada após o erro e, principalmente, não assumir as consequências do equívoco. Mesmo com a suspensão tardia de Leonardo Cavaleiro, o clima ficou pesado.

"Não podemos admitir a postura da arbitragem. O Leonardo Cavaleiro errou e tem que ser punido. É simples. Qual é o problema de vir a público e assumir o erro? Precisa ser punido por aceitar um ato grave de violência dentro de um campo de futebol. Aconteceu isso contra o Flamengo, representamos, enviamos a carta e nada mudou. São fatos muito claros, essa relação é delicada e o Botafogo precisa se colocar quanto a isso. Disse isso ao Presidente da Federação hoje. Bastava reconhecer e tomar as devidas atitudes. Quando assumimos o que erramos conseguimos passar um pouco mais de credibilidade", disse o gerente de futebol do Botafogo, Anderson Barros, antes da punição ter sido anunciada.

Do outro lado, o Vasco lamenta muito a lesão de João Paulo. Além disso, entende que a legitimidade da reclamação do Botafogo contra a arbitragem do último clássico. O Cruzmaltino, porém, faz um alerta contra a pressão que está sendo criada em cima de Vagner do Nascimento Magalhães, árbitro da semifinal da Taça Rio.

"Todos nós lamentamos a lesão do João Paulo. É um companheiro de muitos de nossos atletas. Sobre a arbitragem, entendo o lado do Botafogo, mas o jogo não pode ser focado nesse questionamento. Que o árbitro tenha tranquilidade", disse o técnico do Vasco. "Certeza que o Botafogo não quer ser favorecido, e nós também queremos imparcialidade. Escutei o posicionamento do Anderson Barros e entendi. Também já tive atletas que ficaram um ano parado e não houve punição para arbitragem", completou Zé Ricardo.

A semifinal da Taça Rio apresentara uma novidade em relação a arbitragem. A partida contará com o auxílio do árbitro de vídeo. Marcelo de Lima Henrique do escalado e ficará em uma sala do Nilton Santos para tirar dúvidas em lances polêmicos – como a falta cometida por Rildo no último domingo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos