Título ameniza crise, enche cofre e consolida jovens de Abel no Flu

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

O Fluminense comemorou bastante a conquista da Taça Rio no último domingo (24), no Maracanã. Tudo porque a vitória por 3 a 0 sobre o Botafogo, no Maracanã representou bem mais que a taça de um turno e a vantagem do empate na semifinal do Campeonato Estadual – contra o Vasco, na próxima quinta (29). O triunfo ajudou a amenizar a intensa pressão vivida nas Laranjeiras desde os primeiros dias do ano.

Com a dispensa de boa parte do elenco e questionamentos de todos os lados, a diretoria viu o jovem time de Abel Braga ser afetado pelo ambiente conturbado no clube. Os salários atrasados nos primeiros meses comprometeram o desempenho e aumentaram a crise. Nada como um bom resultado, no entanto, para afastar um pouco os dias turbulentos.

"Foi complicado. Você vê as perdas, 11 jogadores que deixaram o time. É um negócio meio...", pausou o técnico Abel, sem palavras, antes de continuar. "Tem que acreditar muito no que se faz", completou o treinador.

Além do resultado esportivo em campo, o título da Taça Rio ajuda o Fluminense fora dos gramados. Especialmente em outra área que vinha preocupando: a financeira. Com a conquista o Tricolor embolsou R$ 1 milhão a título de premiação – mais os R$ 1,6 milhão de cota pela participação na final, totalizando R$ 2,6 milhões na partida do Maracanã.

Preocupado com o trabalho dentro de campo, Abel comemorou outro lucro do Fluminense. O treinador se animou com o desempenho dos jovens, questionados em diversos momentos pela irregularidade no início da temporada.

"Não podem ser tão duros. Torcida é soberana, pessoal fala, mas os meninos têm muito potencial. E estão adquirindo confiança. Conseguimos formar alguma coisa diferente de forma muito rápida. E não é mérito meu, mas dos jogadores. Entenderam uma forma nova de jogar. Uma forma que se sofre para aprender, mas eles estão indo bem. No papel, de repente [nosso time] não ganhe dos outros, mas dentro do campo está mostrando sua capacidade", avaliou o treinador.

Pedro, de apenas 20 anos, foi um bom exemplo na vitória. O jovem marcou o gol que abriu o caminho para a conquista do título e chegou aos seis gols na competição. O jovem luta para ser o artilheiro mais jovem do Tricolor em um Estadual na era profissional.

"A briga é boa para ser o artilheiro, mas estou focado no Fluminense. Queremos o título. O resto é consequência", comentou Pedro, que disputa com Marcos Júnior, também com seis gols, o posto de goleador do Campeonato Carioca.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos