Botafogo marca nos acréscimos, bate Vasco nos pênaltis e é campeão

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

De forma dramática, o Botafogo venceu o Vasco por 1 a 0 no tempo normal e por 4 a 3 nos pênaltis e ficou com o título carioca depois de cinco anos diante de um Maracanã lotado neste domingo (8).

O capitão Carli, que fez o gol do triunfo aos 49 minutos do segundo tempo depois de muita pressão botafoguense (que atuou com um a mais desde os 36 do primeiro tempo), e Gatito Fernández, que defendeu as cobranças de Werley e Henrique, foram os heróis da conquista do time do técnico Alberto Valentim, que havia perdido o jogo de ida por 3 a 2.

Este é o 21º título botafoguense na história do torneio. O Flamengo é o maior campeão, com 34, seguido de Fluminense, com 31, e Vasco, com 24.

O Botafogo tem pouco tempo para comemorar o título. Nesta quinta-feira, a equipe vai ao Chile enfrentar o Audax pela Copa Sul-Americana. No dia 16, segunda, o compromisso será pelo Campeonato Brasileiro - estreia contra o Palmeiras no Engenhão. O Vasco tem a semana livre antes de receber o Atlético-MG domingo na estreia no torneio nacional.

O melhor: Gatito, de novo

Botafogo FR/Divulgação

Carli fez o gol que levou a disputa para os pênaltis, é verdade. Mas Gatito mais uma vez se afirma como um ídolo botafoguense e um exímio pegador de pênaltis. Ele acertou o canto na maioria das cobranças e defendeu os chutes de Werley e Henrique. 

O pior: Fabrício é expulso e muda o jogo

Thiago Ribeiro/AGIF

Vasco e Botafogo faziam um jogo equilibrado - o que agradava aos cruzmaltinos, com a vantagem da ida, até os 36 minutos, quando Fabricio entrou duro em Luiz Fernando e levou vermelho direto, deixando a equipe de Zé Ricardo com um a menos. A partir daí, foi quase um ataque conte a defesa, principalmente na etapa complementar.

Novidades "forçadas"

Depois de muito mistério, tanto Zé Ricardo como Alberto Valentim só fizeram mudanças obrigatórias nas equipes em relação ao jogo de ida da decisão. O primeiro colocou Evander no lugar do suspenso Wellington e Henrique na vaga do lesionado Paulinho. O segundo trocou Lindoso, que também cumpriu suspensão, por Matheus Fernandes.

1º tempo truncado tem expulsão

Muita vontade e pouca emoção. Depois de protagonizarem clássicos cheio de gols nos encontros anteriores, Vasco e Botafogo tiveram dificuldades para criar chances no primeiro tempo deste domingo no Maracanã. A equipe de Zé Ricardo assustou com Riascos, que pegou rebote após chute de Pikachu e parou em Martín Silva. O próprio Pikachu também teve uma oportunidade após cruzamento de Henrique, mas errou o alvo. Do lado do Botafogo, cabeçada de Igor Rabello por muito pouco não achou Brenner.

O panorama do jogo mudaria aos 36 minutos, Em entrada dura, Fabricio, herói da semifinal contra o Fluminense, pisou na panturrilha de Luiz Fernando e levou vermelho direto (veja vídeo acima). O atacante botafoguense saiu de campo chorando, dando lugar a Rodrigo Pimpão. Com um a mais, o time de Alberto Valentim partiu para cima, mas Valencia, Pimpão e Rabello perderam as chances até o intervalo. 

Bota pressiona, reclama e empata

Salvo um quase gol contra de Igor Rabello no início, a etapa final teve o Botafogo no campo de ataque na maior parte do tempo, e o Vasco se segurando como pôde. Nas melhores chances, Paulão salvou cabeçada de Kieza quando a bola ia em direção ao gol e Martín Silva defendeu pancada de Renatinho. No mesmo lance, Carli foi puxado na área, mas o árbitro não deu pênalti, revoltando os botafoguenses.  

Martín Silva voltou a aparecer bem aos 20 minutos, em chute à queima-roupa de Brenner. Na base do desespero, o time de Valentim se lançou ao ataque na metade final, abusando dos cruzamentos na área, mas não chegou ao gol que levaria a disputa para os pênaltis. No, fim, Leo Valencia ainda levou o segundo amarelo por matar contra-ataque. Vascaínos gritavam "é campeão" nas arquibancadas. Mas no penúltimo minuto, após bate-rebate na área, Carli completou para as redes.

Gatito brilha nas penalidades

Martín Silva até tentou e foi o primeiro a defender um pênalti, na cobrança de Rodrigo Pimpão. Mas Gatito fez melhor e pegou as cobranças de Werley e Henrique (último a cobrar). Wagner, Ríos e Pikachu converteram para o Vasco e Brenner, Gilson, Marcinho e Renatinho anotaram para o Botafogo. 4 a 3 e festa do Glorioso.

Tite na área

Um olho no campo, o outro na TV. O técnico da seleção brasileira marcou presença na decisão carioca, acompanhado do auxiliar Thomaz Erich. Na cabine reservada para ele, uma TV estava ligada na final do Campeonato Paulista entre Palmeiras e Corinthians. Tite dividia sua atenção entre os dois jogos.

Enfim lotou

Marcello Dias/Futura Press/Estadão Conteúdo

Um Carioca marcado pela pequena presença de público (a média de pagantes foi de 3419 torcedores por partida) enfim teve uma festa que fez jus ao Maracanã. Vascaínos e botafoguenses fizeram linda festa nas arquibancadas com 58.135 pagantes e 64 mil presentes, melhor público do ano no futebol brasileiro

Sem mágoas

Rildo e João Paulo, protagonistas de um dos lances de maior repercussão do Estadual, estiveram no Maracanã torcendo por suas equipes. Em entrevista ao canal "Premiere", o vascaíno voltou a classificar o lance em que quebrou a perna do botafoguense como "fatalidade". "Fui no hospital e ele aceitou pedido de desculpas. Falei com a esposa dele também e espero que volte o mais rápido possível para reencontrá-lo nos gramados". 

Rildo obteve efeito suspensivo e, em reta final de lesão no ombro, tem chances de atuar na estreia do Vasco no Campeonato Brasileiro, contra o Atlético-MG, no próximo domingo. Já o botafoguense aceitou o pedido de desculpas do colega, mesmo não sabendo ainda quando poderá retornar aos campos. "Falei para ele não ficar com peso na consciência. Agora é focar na minha fisioterapia para voltar o quanto antes. Não me deram prazo, ainda não temos muita certeza", comentou João Paulo, também ao "Premiere".

Seleção do Carioca

Júlio César; Yago  Pikachu, Gum, Igor Rabello e Ayrton; Desábato, Rodrigo Lindoso, Lucas Paquetá e Paulinho; Marcos Júnior e Pedro. Este foi o time dos melhores jogadores do Carioca, na opinião dos jornalistas que participaram da eleição. Vinicius Júnior, do Flamengo, ficou de fora - teve menos votos que Marcos Júnior.

Ficha Técnica

VASCO 0 (3) X 1 (4) BOTAFOGO

Data: 8 de abril de 2018
Local: Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro-RJ
Hora: 16h00 (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Corrêa e Thiago Henrique Neto Farinha
Cartões Amarelos: Paulão, Desábato, Werley (Vasco). Marcelo, Pimpão, Leo Valencia (Botafogo)
Cartão Vermelho: Fabrício (Vasco). Leo Valencia (Botafogo)

Gols: Carli, aos 49 minutos do segundo tempo

Vasco: Martín Silva; Rafael Galhardo (Werley), Erazo, Paulão e Fabrício; Desábato, Evander (Ríos), Yago Pikachu, Wagner e Henrique; Riascos (Ricardo). Treinador: Zé Ricardo.

Botafogo: Gatito; Marcinho, Joel Carli, Igor Rabello e Moisés (Gilson); Matheus Fernandes, Marcelo (Kieza), Renatinho; Leo Valencia e Luiz Fernando (Rodrigo Pimpão); Brenner. Treinador: Alberto Valentim.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos