Loco, Seedorf e Gatito! Títulos do Bota são marcados por gringos estrelados

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

Os torcedores do Botafogo logo se animam ao serem informados que um gringo está para ser contratado por seu time. Os alvinegros têm motivo para se exaltarem ao ver o nome de um estrangeiro ser especulado no clube, já que eles foram bastante decisivos pelas últimas taças que entraram na sala de troféu de General Severiano.

Foi assim com Loco Abreu e Herrera, em 2010. Na oportunidade, o Botafogo havia perdido três finais do Carioca seguidas para o Flamengo e uma quarta final seria disputada. Os dois atacantes marcaram gol na final e mudaram o roteiro. É bem verdade que Jefferson pegou pênalti de Adriano e segurou o placar, mas o brilho dos 'hermanos' foi intenso demais e com direito a 'cavadinha' do uruguaio.

Três anos depois, foi a vez de um outro gringo escrever seu nome na história do Botafogo. E que nome: Clarence Seedorf. O tetracampeão da Liga dos Campeões comprou a ideia do então presidente Maurício Assumpção e decidiu encerrar a carreira no Alvinegro. Antes, no entanto, ele liderou o time para mais um título carioca. Jefferson, Fellype Gabriel, Vitinho e Rafael Marques também foram importantes para a conquista, claro, mas o brilho maior foi do holandês.

E a história se repetiu no último domingo com heróis improváveis. Gatito Fernandez e Joel Carli, dois jogadores de defesa e que iniciaram a temporada no bando de reservas. Mostraram seus valores ao longo da competição e foram premiados na finalíssima. Foi o zagueiro argentino fez o gol que levou a decisão para os pênaltis e o goleiro paraguaio completou o serviço ao defender duas penalidades e garantir o 21º caneco do Botafogo no Rio de Janeiro.

"Poucos acharam que o Botafogo tinha chance de chegar para ser campeão. Mas nossa diretoria dá coisas que a gente precisa, material, qualquer coisa. A escolha do técnico foi muito boa. A gente que está aqui sente totalmente diferente, por isso que a gente consegue fazer um trabalho muito bom, como foi no ano passado também. Todo mundo dizia que a gente não tinha condições de chegar a finais ou chegar longe", disse Gatito Fernandez.

"Eu acho que foi por como fui recebido aqui. Sempre falei que sou muito agradecido ao Botafogo, à torcida, aos jogadores. Quando cheguei, fui recebido de um jeito maravilhoso. Esse gol foi fruto de um trabalho de todo mundo. Hoje fico feliz por ter ajudado o Botafogo a conseguir esse título e retribuir um pouco desse carinho", completou Joel Carli.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos