Fora de jogo, Neymar é "eternizado" em museu de rival do PSG

Do UOL, em São Paulo

  • CHRISTOPHE SIMON/AFP

    Camisa de Neymar vai para museu

    Camisa de Neymar vai para museu

Neymar nem entrou em campo neste sábado pelo Paris Saint-Germain, mas pode dizer que deixou sua marca em Montpellier: o brasileiro agora faz parte do acervo de um museu no estádio do time da cidade francesa.

Antes de a bola rolar no La Mosson, o presidente dos dois clubes se encontraram no recém-inaugurado Museu Louis Nicollin, que leva o nome do ex-mandatário da equipe da casa, falecido no fim do último mês de junho.

Nasser Al-Khelaïfi, presidente do PSG, decidiu colaborar com o acervo e não teve dúvidas do presente: deu uma camisa da contratação mais cara da história do futebol ao seu par, Laurent Nicollin (filho de Louis).

Neymar agradeceu a homenagem por meio de uma mensagem em inglês no seu Twitter, na qual se diz "honrado". Sem ele, o PSG não saiu do 0 a 0 com o Montpellier e perdeu os 100% de aproveitamento no Campeonato Francês.

O motivo da ausência do craque não foi explicado oficialmente, embora a imprensa francesa descarte que ela tenha relação com o atrito entre Neymar e Cavani na rodada anterior do torneio, contra o Lyon – ambos discutiram na hora de definir o cobrador de um pênalti, e o clima teria esquentado depois da partida, nos vestiários.

A hipótese principal é de que o brasileiro sente um desconforto no pé e seria preservado de olho no duelo da próxima quarta-feira, contra o Bayern, em Paris, pela Liga dos Campeões. Mas, pelo que se viu no 0 a 0 deste sábado, Neymar certamente faria mais diferença em campo do que no museu em Montpellier.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos