Neymar xinga companheiro, mas cresce com Mbappé e PSG vira fora de casa

João Henrique Marques

Do UOL, em Guingamp

  • Stephane Mahe/Reuters

    PSG saiu atrás do Guingamp no placar, mas alcançou a virada no segundo tempo

    PSG saiu atrás do Guingamp no placar, mas alcançou a virada no segundo tempo

Depois de um primeiro tempo discreto, em que praticamente só chamou atenção ao reclamar acintosamente com o meia Nkunku por conta de um lance errado, Neymar fez a diferença para o PSG neste sábado, contra o Guingamp, em partida da segunda rodada do Campeonato Francês, e abriu caminho para a vitória por 3 a 1 fora de casa. O brasileiro sofreu um pênalti logo no início do segundo tempo e marcou em bela cobrança deslocando o goleiro Johnsson. Depois, viu Mbappé receber passe de Di Maria para virar o placar e deu assistência para o terceiro, também marcado pelo destaque da última Copa do Mundo no último minuto do tempo regulamentar.

Foi a segunda vitória do PSG em dois jogos na competição. O atual campeão volta a jogar no próximo sábado, às 12h, contra o Angers. Esta partida será no Parque dos Príncipes.

Primeiro tempo de Neymar

Ao ver Nkunku optar pelo chute ao invés de lhe passar a bola nos minutos finais do primeiro tempo, a reação de nervosismo foi imediata: "vai tomar no c...toca a bola", disparou o camisa 10 em ação flagrada pelo canal Plus da França.

Neymar não pressionou marcadores no início do jogo. O passe lateral era a opção ao enfrentar o mano a mano e uma calmaria incomum foi facilmente notada enquanto esteve com a bola. A atuação apática até o time sofrer 1 a 0 logo deu lugar à irritação com o excesso de desperdícios de posse do time.

Reprodução/Canal Plus

Buffon até salva....

O problema no gol do PSG está definitivamente resolvido. Mesmo aos 40 anos de idade e querendo mostrar-se um jogador útil, Gianluigi Buffon deu novas mostras que pode fazer a diferença na temporada da equipe. Logo aos 13 minutos do primeiro tempo, duas defesas brilhantes evitaram que o Guingamp saísse na frente do placar. Primeiro, após boa jogada de Thuram pela esquerda, Roux bateu da entrada da pequena área e o goleiro italiano levantou o braço no reflexo para defender. Na sequência da jogada, Buffon ainda precisou espalmar chute forte de Blas pela linha lateral.

... mas não é toda hora!

Pouco mais de cinco minutos após a sequência de defesas, Buffon ficou vendido no lance que abriu o placar no estádio de Roudourou. O jovem Dagba recebeu lançamento no campo de defesa do PSG, mas perdeu o controle da posse de bola e atrapalhou Thiago Silva, que saía para o jogo e não conseguiu evitar o passe de Coco para Roux. Sem defesa para Buffon, o Guingamp saiu na frente na trapalhada da defesa parisiense.

Fred Tanneau/AFP

2 a 0. Só que não.

Melhor em campo, o Guingamp balançou as redes pela segunda vez, mas não valeu. Após jogada de contra-ataque à direita, Coco passou a bola por cima de Buffon e cruzou para o meio da área, onde Benezet concluiu para o gol. A anulação ocorreu após cinco minutos de paralisação para uso do árbitro de vídeo - Clement Turpin foi à beira do campo assistir o lance e marcou falta de Benezet em Dagba antes da chegada da bola. Sinal de alerta ao time de Thomas Tuchel.

Falta organização ao PSG

Mesmo com time misto, recheado por jogadores sub-20, o PSG mostrou falta de repertório e padrão de jogo no primeiro tempo. O principal problema foi a criatividade do setor de meio-campo, pois Bernede e Nkunku colocaram poucas bolas em boas condições para Neymar, Di Maria e Weah. 

Fred Tanneau/AFP

De pênalti sai o primeiro

Com Mbappé na vaga de Weah, o PSG se tornou um time mais perigoso no segundo tempo e conseguiu o empate logo aos oito minutos da etapa complementar. Após receber passe do francês e tentar o drible para cima de Ikoko, Neymar foi derrubado na área. Ele mesmo cobrou o pênalti com tranquilidade, no canto esquerdo do goleiro Johnsson. 

O PSG seguiu atacando após a entrada de Mbappé, que fez Neymar ser deslocado para o centro, não mais isolado na ponta esquerda. Di Maria também cresceu e o time passou a acumular chances de gol, como a bola na trave do argentino após escanteio cobrado pelo brasileiro. 

Loic Venance/AFP

A virada parisiense

Aos 36 minutos do segundo tempo, o bom volume de jogo ofensivo do PSG virou resultado. Em ataque rápido, Di Maria passou para Mbappé, posicionado aberto à esquerda do ataque. O destaque da última Copa do Mundo pensou rápido e acertou o cantinho de Johnsson para virar o placar e dar mais uma vitória ao atual campeão na nova temporada.

Apenas oito minutos depois, Neymar puxou contra-ataque pelo centro e serviu Mbappé, que deslocou o goleiro e marcou o terceiro, dando mostras de parceria afinada do ataque do PSG mesmo no início do novo ciclo.

Fred Tanneau/AFP

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos